Risco de dengue aumentou no hemisfério norte

Cientistas portugueses investigam possível tratamento

07 abril 2011
  |  Partilhar:

A Europa e os EUA despertam para a importância da investigação sobre a dengue após se ter verificado o risco de um surto desta doença. Contudo, investigadores portugueses receiam que o tratamento da doença não seja prioritário para a indústria farmacêutica.
 

Os investigadores do Instituto de Medicina Molecular (IMM), Ivo Martins e Nuno Santos, estão a fazer avanços na compreensão do ciclo de vida dos vírus, abrindo caminho no tratamento de doenças como dengue, febre amarela ou vírus do Nilo Ocidental.
 

Utilizando como modelo o vírus da dengue, os investigadores da Unidade de Biomembranas do IMM, em colaboração com a Unidade de Bioquímica-Física do mesmo Instituto e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) desvendaram pormenores relativos à formação de novos vírus.

 

Em declarações à agência Lusa, Nuno Santos revelou que "a ideia é perceber qual o mecanismo de produção de novos vírus para depois identificar as ferramentas mais úteis para interromper esse processo". Só a partir desta descoberta será possível criar um tratamento para as infecções por dengue, que, lembra Nuno Santos, já não estão confinadas às regiões tropicais.
 

"Com o aquecimento global e uma maior movimentação de pessoas e bens, os mosquitos transmissores passaram a existir também na Europa, o que faz com que estejam reunidas as condições para um surto", acrescentou.
 

Nuno Santos revela que não existe qualquer vacina ou tratamento para a infecção causada pelo vírus da dengue e que “ainda estamos bastante longe de medicamentos para o tratamento da dengue". O investigador adiantou ainda que só o processo de compreensão do funcionamento do vírus pode demorar cerca de dois a três anos.
 

Os investigadores salientam que os países do hemisfério norte têm dado pouca atenção a esta e a outras doenças tropicais, pois estas não os afectavam directamente, ainda que o aumento do risco de surtos na Europa ou nos Estados Unidos tenham mudado "o paradigma de interesse" pela dengue.
 

Ivo Martins lembra um caso de transmissão local detectado no Verão de 2010, em Nice, França, para reforçar a ideia de que é preciso tomar medidas, e recorda a "decisão estratégica" da União Europeia de aumentar o financiamento para a investigação nesta área.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.