Risco de Cancro da Mama em mulheres negras foi até agora subestimado

Análise do National Cancer Institute

29 janeiro 2008
  |  Partilhar:

O risco de Cancro da Mama nas mulheres negras com mais de 45 anos nos EUA foi, até agora, largamente subestimado, de acordo com a análise elaborada por um novo utensílio de avaliação de riscos, apresentado no jornal do National Cancer Institute.
 

 

O “Breast Cancer Risk Assessment Tool”, ou “modelo de Gail”, era há muito tempo utilizado para avaliar os riscos de Cancro da Mama nas mulheres negras e determinar quais poderiam ser eleitas para participar em ensaios clínicos de novos tratamentos e beneficiar também de tratamentos preventivos. No entanto, este modelo era baseado em estatísticas da doença em caucasianas.
 

 

O novo instrumento de avaliação dos riscos, o CARE, foi elaborado a partir de dados provenientes tanto de mulheres negras que não tiveram Cancro da Mama, como das que foram afectadas pela doença.
 

 

Mitchell Gail, do National Cancer Institute, autor do antigo modelo e também líder da equipa que concebeu o novo, testou-o de seguida a partir de dados provenientes de dois grandes ensaios clínicos com os antineoplásicos Tamoxifeno e Raloxifeno.
 

 

Segundo o novo utensílio estatístico, 30% das afro-americanas com idades iguais ou superiores a 45 anos têm um risco de pelo menos 1,66% de desenvolver um Cancro da Mama num período de cinco anos.
 

 

Fontes: Lusa e Imprensa Internacional
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.