Revacinação contra a tuberculose deve ser encarada com cautela

Estudo realizado por investigadores da Universidade do Minho

11 fevereiro 2011
  |  Partilhar:

A revacinação com BCG melhora a protecção em relação à tuberculose ao longo da vida mas também pode ter “um efeito muito maléfico” em termos de patologia pulmonar, revela um estudo realizados por investigadores da Universidade do Minho.

 

Uma das autoras do estudo, Margarida Saraiva, revelou à agência Lusa que o estudo demonstra que “a revacinação terá de ser encarada com cuidado, como uma situação que pode variar em termos de consequências patológicas de indivíduo para indivíduo”.

 

Estes estudo procurou avançar no conhecimento do fenómeno de Koch descrito em 1882 por Robert Koch como uma resposta de hipersensibilidade retardada. “Quando um animal previamente infectado com o bacilo da tuberculose é reinfectado, observa-se o aparecimento de uma reacção inflamatória local, marcada por lesões necróticas”. Esta reacção, que também constitui a base imunológica do teste da tuberculina, "se não for regulada correctamente, pode levar à destruição do tecido pulmonar infectado em doentes com tuberculose", acrescentou.

 

No estudo que já foi distinguido como melhor trabalho científico na área de Imunologia em Portugal, e o Prémio Pulido Valente Ciência 2010, os investigadores do Instituto de Ciências da Vida e da Saúde (ICVS) utilizaram um modelo animal onde ratinhos foram repetidamente vacinados com BCG após infecção com Mycobacterium tuberculosis tendo observado “um aumento da citocina IL-17 (substância inflamatória), provocando danos nos tecidos do pulmão”.

 

A investigadora explicou à Lusa que a vacinação com BCG contra a Mycobacterium tuberculosis também conhecido por bacilo de Koch confere protecção por um período de tempo limitado e não é 100 % eficaz na protecção contra a tuberculose. Assim, novas vacinas e estratégias de vacinação têm vindo a ser consideradas pela comunidade científica.

 

Neste contexto, este estudo mostra que a IL-17 é um importante mediador de patologia pulmonar, contribuindo significativamente para o futuro desenvolvimento de vacinas mais eficazes e sem efeitos potenciais adversos em indivíduos que necessitem de ser re-vacinados.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.