Relógios gigantes indicam horas perigosas de exposição ao sol

Iniciativa da Associação Portuguesa do Cancro Cutâneo

17 julho 2006
  |  Partilhar:

 

Dez relógios gigantes estão a ser instalados em várias praias do País com o objectivo de indicar as horas perigosas de exposição ao sol, uma iniciativa da Associação Portuguesa do Cancro Cutâneo (APCC). Ao longo do Verão, responsáveis da APCC continuarão a percorrer todo o País, advertindo para os perigos da exposição ao sol, iniciativa que conta já com a adesão de 40 municípios.
 

 

Trata-se de uma estrutura mista entre um relógio e um semáforo, com 90 centímetros de diâmetro e 3,10 metros de altura, em que as horas apresentadas se dividem nas cores vermelho (12:00 às 16:00), o período de maior perigo de queimaduras solares, amarelo (11:00 às 12:00 e 16:00 às 17:00) e verde (as restantes horas do mostrador).
 

 

Observando que, muitas vezes, quando as pessoas vão para a praia não levam relógio, o presidente da APCC, Osvaldo Correia advertiu para que os banhistas se guiem pela sua própria sombra. "Só devemos estar ao sol quando a sombra é maior do que nós próprios", precisou, sublinhando que aquela regra tem a virtude de se aplicar em várias longitudes: "No Brasil, a hora perigosa é entre as 10 e as 14:00", exemplificou.
 

 

Sublinhou que o protector solar atenua os efeitos dos raios ultravioletas, mas não substitui a necessidade de sombra nas horas críticas. "Nessas horas, as pessoas que insistirem em ficar na praia devem manter -se à sombra, usar óculos escuros e usar camisolas", disse, apelando ao consumo reforçado de água, sobretudo pelas crianças e idosos.
 

 

Fonte: Público
 

MNI- Médicos na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.