Relações sociais mais importantes para o bem-estar em adulto do que aptidões académicas

Estudo publicado no “Journal of Happiness Studies”

27 agosto 2012
  |  Partilhar:

Relações sociais positivas durante a infância e adolescência são fundamentais para o bem-estar na idade adulta, enquanto o sucesso académico parece ter pouca influência, revelam os dados de um artigo publicado no “Journal of Happiness Studies”, levado a cabo por cientistas australianos.

 

Os cientistas sabem ainda muito pouco sobre de que forma o desenvolvimento na infância e adolescência afeta o bem-estar durante a idade adulta. Neste estudo, o bem-estar na idade adulta foi definido como uma combinação de sentido de coerência, estratégias de enfrentamento positivas, compromisso social e forças autopercecionadas.

 

Para o estudo foram analisados os dados de 804 indivíduos que foram seguidos durante 32 anos através do programa “Dunedin Multidisciplinary Health and Development Study” (DMHDS), na Nova Zelândia.

 

Os cientistas mediram o nível de desvantagem familiar, relações sociais e desenvolvimento da linguagem na infância, relações sociais e sucesso académico na adolescência, e bem-estar na idade adulta. As relações sociais na infância são definidas pela classificação de pais e professores a aspetos como a criança ser amada por outros, não estar sozinha, e nível de confiança da criança. As relações sociais na adolescência são reveladas por ligações sociais (pais, pares, escola, confiança) e participação em grupos de jovens ou grupos desportivos.

 

Os dados revelaram, por um lado, uma forte ligação entre relações sociais na infância e adolescência e bem-estar na idade adulta. Isto ilustra o forte impacto das relações sociais positivas até à idade adulta. Por outro lado, a ligação entre o desenvolvimento da linguagem e sucesso académico na adolescência e o bem-estar na idade adulta é fraca. Isto encontra-se em consonância com os dados de outros estudos que apontam para inexistência de uma associação entre a prosperidade económica e a felicidade.

 

Os dados também sugerem que, mesmo não estando intimamente relacionados, aspetos sociais e académicos podem representar caminhos paralelos.

 

Os autores concluem que “se estes caminhos estão separados, então desenvolvimento social positivo ao longo da infância requer investimento além do desenvolvimento do curriculum académico”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.