Registo nacional de objectores de consciência à IVG

Ordem dos Médicos envia inquérito a profissionais

28 fevereiro 2008
  |  Partilhar:

A Ordem dos Médicos está a realizar um inquérito para criar um registo nacional de objectores de consciência à Interrupção Voluntária da Gravidez (IVG), que conta já com mais de 1.200 obstetras e médicos de família.
 

 

Este número pode, no entanto, vir a aumentar, uma vez que a declaração de objecção da IVG à Ordem não é obrigatória e pode ser feita a qualquer momento.
 

 

Mais de 1.200 obstetras e médicos de família já declararam objecção de consciência à IVG. Num universo de 6.440 clínicos das duas especialidades, um em cada cinco já fez saber à Ordem dos Médicos (OM) que não está disponível para realizar interrupções voluntárias da gravidez (IVG).
 

 

O objectivo do inquérito é criar um registo nacional de objectores de consciência à IVG, explicou Pedro Nunes. A necessidade de existência de um registo dos médicos que declarem a sua objecção à IVG visa, segundo o bastonário, salvaguardar os profissionais da acusação de recusarem aquele procedimento nos hospitais públicos e o realizarem em clínicas privadas.
 

 

A iniciativa, da OM, arrancou segunda-feira com o envio do inquérito para os obstetras e para os médicos de família.
 

 

Fonte: Jornal de Notícias
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.