Registam-se cerca de 7.200 nados-mortos por dia em todo o mundo

98% dos óbitos ocorre nos países mais pobres

18 abril 2011
  |  Partilhar:

Todos os dias registam-se cerca de 7.200 nados-mortos em todo o mundo. De acordo com estimativas divulgadas pela revista científica “The Lancet”, em 2009 ocorreram 2,6 milhões de óbitos fetais, dá conta uma notícia avançada pela agência Lusa.
 

O estudo revelou também que morrem por hora 300 bebés dentro do útero ou durante o trabalho de parto, sendo que 98% destes óbitos ocorre nos países mais pobres. No entanto, nos países desenvolvidos ainda acontece uma morte em cada 320 nascimentos.
 

Cerca de metade das mortes ocorre durante o parto e está vulgarmente associada à falta de cuidados especializados. Este problema tem mais impacto nas áreas rurais. Dois terços das mortes ocorrem em zonas onde "nem sempre há pessoal qualificado de obstetrícia - especialmente parteiras e médicos - para prestar os cuidados essenciais durante o parto e emergências obstétricas".
 

O estudo refere também que as cinco principais causas de morte fetal incluem complicações durante o parto, infecções da mãe durante a gravidez, doenças como a hipertensão ou diabetes, crescimento tardio intra-uterino e malformações congénitas.
 

Na opinião dos investigadores e de acordo com os dados revelados no estudo, a taxa de mortalidade mudou pouco ao longo da última década. Se existisse um 'ranking', Finlândia e Singapura apareceriam no topo da lista como os países mais bem-sucedidos, com apenas 2 mortes por cada 1.000 nascimentos, seguidos da Dinamarca e Noruega (2,2). No fim da lista estariam países como o Paquistão (47 mortes por mil nascimentos), seguido da Nigéria (42), Bangladesh (36) e Senegal (34).
 

Para os investigadores, os números agora revelados denunciam que esta taxa "pouco mudou ao longo da última década". As estimativas mostram que o número de nados-mortos diminuiu apenas 1,1% por ano, passando de 3 milhões em 1995 para 2,6 milhões em 2009. “Esta diminuição é ainda mais lenta do que a redução da mortalidade materna e infantil durante o mesmo período”, refere um resumo do estudo.  
 

Quanto a Portugal, registam-se em média três mortes por cada mil nascimentos, um número que fica muito acima da média europeia: 6,3 nado-mortos por cada mil nascimentos.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.