Regeneração de células ciliadas conduziu à recuperação de audição

Estudo publicado na revista “Neuron”

14 janeiro 2013
  |  Partilhar:

Investigadores americanos conseguiram, pela primeira vez, regenerar células ciliadas do ouvido de ratinhos o que resultou na recuperação parcial da sua audição, dá conta um estudo publicado na revista “Neuron”.
 

A surdez neurossensorial é a forma mais comum da surdez e é causada pela perda de células ciliadas da cóclea. A perda deste tipo de células pode ser devida a vários fatores, incluindo a exposição ao ruído, envelhecimento, toxinas, infeções, bem como a toma de certos antibióticos e fármacos anticancerígenos. Apesar de os aparelhos auditivos e implantes cocleares melhorarem os sintomas, não existem tratamentos para restaurar a audição. Os investigadores explicam que as células ciliadas auditivas dos mamíferos, ao contrário daquelas encontradas nas aves ou peixes, não se regeneram quando afetadas.
 

“As células ciliadas são os recetores primários das células auditivas e são responsáveis pela audição. O nosso estudo demonstrou que estas células podem ser regeneradas e a sua substituição conduz a um aumento da audição”, revelou, em comunicado de imprensa, um dos líderes do estudo, Albert Edge.
 

No estudo, os investigadores da Harvard Medical School, nos EUA, colocaram na cóclea de ratinhos surdos, um fármaco que tinha sido selecionado devido à sua capacidade de gerar células ciliadas quando adicionado a células estaminais isoladas do ouvido. Este fármaco inibe uma enzima, a gama secretase, que está envolvida na ativação de várias vias celulares.
 

O estudo apurou que o fármaco colocado na cóclea inibiu um sinal produzido por uma proteína encontrada na superfície das células que rodeiam as células ciliadas, tendo estas se diferenciado em novas células ciliadas.
 

“As células ciliadas que haviam sido danificadas foram substituídas por novas, após o tratamento. A análise da sua localização permitiu correlacionar o aumento da audição com as áreas em que as células foram substituídas”, explicou o investigador.
 

“Estamos muito entusiasmados com estes resultados, pois são um avanço na biologia da regeneração e provam que as células ciliadas dos mamíferos têm a capacidade de se regenerar. A regeneração das células ciliadas abre assim uma porta para possíveis aplicações terapêuticas da surdez”, conclui Albert Edge.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 5Média: 5
Comentários 0 Comentar