Reforma reduz cansaço e depressão

Estudo publicado no “Biochemical Medical Journal”

29 novembro 2010
  |  Partilhar:

A reforma conduz a uma redução substancial da fadiga física, mental e da depressão, dá conta um estudo publicado no “Biochemical Medical Journal”.
 

A reforma é uma transição importante na vida. Contudo, os resultados de vários estudos sobre o efeito desta na saúde têm sido inconsistentes pois, enquanto alguns sugerem um efeito benéfico, outros concluem exactamente o contrário.

 

Para este estudo, os investigadores da Universidade de Estocolmo, na Suécia, contaram com a participação de 11.246 homens e 2.858 mulheres que foram acompanhados durante um longo período de tempo: durante os sete anos que antecederam a reforma e nos sete anos posteriores. A maioria dos participantes era casado (89%), pertencia à classe social média-alta. Aos 64 anos encontravam-se todos reformados.

 

No ano anterior à reforma, 25% dos pacientes tinha sofrido sintomas depressivos e 7% foram diagnosticados com uma ou mais das seguintes condições: doenças respiratórias, diabetes, doença cardíaca ou acidente vascular cerebral.

 

O estudo revelou que a reforma está associada a uma diminuição substancial da fadiga mental e física, com uma diminuição menor, mas significativa, nos sintomas depressivos. No entanto, os investigadores também constataram que não há nenhuma associação entre a reforma e as doenças crónicas. Tal como era esperado pelos autores do estudo, essas doenças aumentaram progressivamente com a idade.

 

Os autores do estudo, liderados por Hugo Westerlund, acreditam que existem várias explicações para os resultados encontrados, “se o trabalho é cansativo para muitos trabalhadores mais velhos, a diminuição da fadiga pode simplesmente reflectir a remoção da fonte do problema... além disso, a reforma pode permitir que as pessoas tenham mais tempo para se dedicar a actividades estimulantes e reparadores, como o exercício físico ".

 

Da análise dos dados, os investigadores concluíram ainda que  a fadiga pode ser uma razão subjacente à saída precoce do mercado de trabalho e a uma diminuição da produtividade. Assim poderá ser necessária uma reestruturação na forma de trabalho, intervenções na saúde ou ambos, para permitir que haja uma maior proporção de idosos a trabalhar de perfeita saúde.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 3Média: 4
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.