Reembolsos directos aos doentes acabaram

Movimento de Utentes dos Serviços de Saúde teme pela saúde dos doentes

12 agosto 2011
  |  Partilhar:

O Ministério da Saúde suspendeu o pagamento de todos os reembolsos directos aos utentes do Serviço Nacional de Saúde, com efeitos imediatos.

 

Segundo uma notícia divulgada pelo jornal “Público”, foram suspensos os reembolsos sobre aquisição de próteses, óculos, armações, lentes e calçado ortopédico, serviços de estomatologia, tratamentos termais e o transporte não urgente de doentes, serviços que, segundo refere a publicação, custaram cerca de 38 milhões de euros em 2010.

 

A circular normativa, disponível no sítio oficial da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), refere que “no âmbito das regras de acesso às prestações de saúde e tendo em conta os compromissos internacionais do Estado português” é necessário “reavaliar a função dos reembolsos directos aos utentes do Serviço Nacional de Saúde e suspender o seu pagamento”.

 

O documento indica igualmente que a “suspensão abrange todos os pedidos de reembolso que sejam apresentados” desde terça-feira passada e que os que foram remetidos em data anterior “devem ser avaliados em conformidade com a natureza já excepcional deste mecanismo”.

 

O porta-voz do Movimento de Utentes dos Serviços de Saúde teme que esta medida afaste alguns doentes dos tratamentos. “Se [o utente] agora é obrigado a pagar a totalidade porque o pagamento lhe foi suspenso isso pode levar a que haja pessoas que não recorram a esses serviços porque não têm posses, não têm condições económicas para suportar esse valor e esperar depois que seja feito o reembolso”, disse Carlos Braga à agência Lusa.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.