Rede colaborativa de oncologia na região norte

Declarações do Presidente do IPO/Porto

17 abril 2014
  |  Partilhar:

O grande desafio do IPO/Porto é, segundo o presidente deste instituto, contribuir para que no Norte seja construída uma rede colaborativa de oncologia que “assegure a equidade no acesso aos tratamentos a todos os cidadãos”.
 

“É o nosso compromisso para os próximos anos. Em conjunto com a Administração Regional de Saúde do Norte, com os outros hospitais e com os cuidados primários, tentar melhorar ainda mais a gestão clínica e operacional dos doentes com cancro”, revelou à agência Lusa, Laranja Pontes.
 

No âmbito dos 40 anos do IPO/Porto que se assinalam hoje, o responsável congratulou-se com o facto de “60%” dos doentes que entram no instituto estarem vivos ao fim de cinco anos e de existirem patologias com uma taxa de sobrevivência “superior a 90%”.
“Há patologias muito importantes como é o caso do cancro da mama que tem uma taxa de sobrevivência acima dos 80%”, acrescentou.
 

"Apesar de a incidência de cancro estar a aumentar, aumenta também a sobrevivência, porque as pessoas têm cada vez mais acesso à informação e ficam mais alerta para os sinais da doença. Cada vez mais conseguimos controlá-la, porque só nas fases iniciais se consegue controlar o cancro. Um cancro numa fase avançada é incontrolável, mas quando é detetado cedo é possível tratá-lo e curá-lo”, alertou o presidente do instituto.
 

De acordo com Laranja Pontes é surpreendente o Serviço Nacional de Saúde se ter transformado numa instituição eficaz. “Atualmente as taxas de sobrevivência em termos populacionais e territoriais são equivalentes às da Suécia ou às da Noruega, que são países que investem muito mais dinheiro, mas que obtém os mesmos resultados”, referiu.
 

Para o presidente do IPO/Porto ainda não foi encontrada a cura para o cancro pois, “o cancro não é uma doença causada por um agente externo, por uma infeção que é possível combater com um antibiótico, matando o agente. O cancro é individual, é uma doença de cada um de nós”.
 

“Os tempos que se vivem nas áreas da biologia e genética trazem ao tema ‘cancro’ novos conhecimentos e novas esperanças. São estas realidades que o IPO-Porto vive com profundo empenho e entusiasmo, respondendo aos novos desafios por forma a dar continuidade à promoção da qualidade em todos os níveis”, afirmou Laranja Pontes.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.