Realização de Mamografia após os 80 anos

Estudo publicado no “Journal of Clinical Oncology”

24 agosto 2008
  |  Partilhar:

Um estudo publicado no “Journal of Clinical Oncology” revela que são poucas as mulheres, entre os 80 e 90 anos, que realizam mamografia (20%), mas as que a realizam descobrem a doença atempadamente de modo a evitar a amputação da mama e aumentando a sobrevivência em, pelo menos, mais cinco anos.
 

 

O estudo analisou os registos de mais de 12 mil pacientes com mais de 80 anos diagnosticadas com cancro da mama, entre 1996 e 2002. Descobriu-se que, entre as que realizaram mamografia todos os anos ou a cada dois, 68% descobriram a doença num estado inicial, comparado a 33% das que não efectuaram exames com aquela periodicidade.
 

 

Cinco anos após o diagnóstico da doença, 75% das pacientes frequentemente examinadas estavam vivas, contra apenas 48% das restantes mulheres que não foram avaliadas, pelo menos, cinco anos antes da doença ter sido descoberta.
 

 

As mulheres que realizaram mamografias frequentes não apresentaram apenas maiores probabilidades de sobreviver ao cancro, como também de sobreviver a outras doenças.
 

 

De acordo com os autores, a descoberta é importante, dado que o envelhecimento populacional continua a crescer desmesuradamente nos países desenvolvidos, sendo esperado um aumento para o quádruplo até 2050.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.