Ratos: um perigo para a saúde pública

Especialistas alertam países em desenvolvimento

20 março 2003
  |  Partilhar:

À parte das multiplas doenças infecciosas, da falta de água e comida, das guerra e epidemias, os países em desenvolvimento têm uma preocupação acrescida na área de saúde: as doenças transmitidas por ratos. Especialistas de 39 países reunidos recentemente numa conferência em Camberra, capital da Austrália, alertaram para o facto de os temidos roedores poderem disseminar doenças com rapidez, devido à facilidade com que se multiplicam.
 

 

A cada dia, segundo os especialistas, nascem quase quatro milhões de ratos - dez para cada ser humano. E, segundo os estudos, já foram identificadas cerca de 70 doenças transmitidas por esses animais, mas muitas outras podem existir. «Os ratos são um reservatório de doenças, os gigantes adormecidos da doença no mundo», disse à CNN Lyn Hinds, da Organização de Pesquisa Científica e Industrial da Comunidade Britânica.
 

 

«Parece mais provável que nunca que venhamos a ter maiores níveis de doenças debilitantes causadas por ratos, devido ao aumento da densidade populacional de humanos», acrescentou a especialista, no início da Conferência Internacional de Biologia de Roedores.
 

 

Embora os ratos atormentem os moradores da cidades e do campo há séculos, os investigadores ainda têm que encontrar uma forma eficiente de impedir que estes animais espalhem doenças e destruam colheitas.
 

 

Além de abrigarem agentes causadores do tifo e da peste bubónica, os ratos também são conhecidos por transmitirem doenças como a leptospirose, doença bacteriana potencialmente séria disseminada pela urina.
 

 

Só na Tailândia, em 2000, foram diagnosticados seis mil casos de leptospirose, das quais 350 pessoas morreram. Mas, segundo os cientistas, muitas outras mortes poderiam ser atribuídas aos ratos, mas foram classificadas como febres de origem desconhecida.
 

 

Mas, os ratos também têm alguma utilidade. Pelo menos, em alguns países asiáticos, onde se estima que a cada ano sejam vendidos 35 milhões de roedores. Para espanto dos leitores de estômago mais vulnerável, os ratos são considerados uma verdadeira delícia culinária em muitas partes da região. Estripados e grelhados no carvão, dizem os habitantes que além de iguaria, os ratos dos campos de arroz são uma importante fonte de proteína e também o ganha-pão de muitos camponeses.
 

 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.