Rastreios visuais em mais centros de saúde

Iniciativa vai abranger cerca de 13.500 crianças

03 janeiro 2017
  |  Partilhar:

Este ano os rastreiros à saúde visual nos cuidados de saúde primários vão ser alargados a oito agrupamentos de centros de saúde e a quatro hospitais da região Norte.
 

Segundo a notícia avançada pela agência Lusa, no segundo semestre de 2016 iniciaram-se duas experiências piloto de rastreios da visão na área metropolitana do Porto, um para rastreio da ambliopia em crianças com dois anos e outro para a degenerescência macular da idade em utentes diabéticos.
 

De acordo com fonte oficial do Ministério da Saúde, este ano os rastreios da ambliopia em crianças vão ser alargados a mais oito agrupamentos de centros de saúde e a mais quatro hospitais, todos na região Norte, prevendo abranger cerca de 13.500 crianças.
 

O projeto piloto de rastreio da ambliopia em crianças com dois anos foi executado com os exames a serem feitos nos cuidados de saúde primários, sendo depois os resultados lidos e analisados por médicos oftalmologistas do Centro Hospitalar de São João e do Centro Hospitalar do Porto.
 

Sempre que os resultados são positivos e as crianças precisam de acompanhamento, os casos são encaminhados para consulta de especialidade no próprio hospital.
 

O outro projeto piloto decorreu nos mesmos quatro agrupamentos de centros de saúde e nos mesmos hospitais, mas dirigiu-se ao rastreio da degenerescência macular da idade em utentes diabéticos, aproveitando a logística já existente para o rastreio da retinopatia diabética.
 

Este projeto piloto só foi iniciado em novembro, segundo informação do próprio Ministério da Saúde, e só será finalizado em junho deste próximo ano. Depois de uma avaliação será decidido um eventual alargamento a nível nacional.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar