Rastreio ao cancro colorrectal com 90% de adesão

Projecto da Administração Regional de Saúde do Centro

10 março 2010
  |  Partilhar:

Cerca de 90% do total de utentes convocados na região Centro para o rastreio do cancro do cólon e recto, a neoplasia mais frequente em Portugal, aderiram ao programa.

 

Iniciado em 2009, em 30 centros de saúde da área de influência da Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC), o programa piloto teve até agora grande adesão (na ordem dos 90%), o que, segundo declarações dos responsáveis da ARSC, citadas pela agência Lusa, é "um excelente indicador".

 

Segundo os dados coligidos no final de Janeiro, 90% dos cerca de cinco mil utentes convocados realizaram a primeira etapa do rastreio, que consiste num exame de pesquisa de sangue oculto nas fezes. Caso a análise seja positiva, segue-se uma colonoscopia total e, caso o diagnóstico seja confirmado, é dado início ao tratamento que será, em princípio, cirúrgico.

 

Os dados preliminares indicam que houve 143 doentes com indicação para fazer colonoscopia e que, entre as 90 colonoscopias já com resultados conhecidos, foram revelados sete cancros em fase precoce. Por outro lado, cerca de um terço destes exames revelou "patologia pré-maligna".

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.