Rastreio a Listeria deveria ser obrigatório

Especialista do Instituto de Biologia Molecular do Porto sugere medida

12 dezembro 2005
  |  Partilhar:

Uma especialista do Instituto de Biologia Molecular do Porto defendeu que Portugal deve tornar obrigatório o registo dos casos de infecção pela bactéria Listeria, comum em vários alimentos e que provoca epidemias regulares em todo o mundo. Sandra Sousa, do Instituto de Biologia Molecular e Celular do Porto, referiu, durante um debate promovido pela Universidade do Porto no âmbito da sua Semana da Ciência e Tecnologia, que “contrariamente ao que a própria União Europeia já pediu a determinada altura, Portugal continua a não obrigar ao rastreio desta doença. O que faz com que um médico que assista a um aborto espontâneo por causa da sua contaminação não tenha de comunicar o facto".Sandra Sousa recordou que a bactéria “existe em todo o lado, incluindo na água e nos solos, e os humanos estão em contacto permanente com ela", nomeadamente, em vários queijos de pasta mole, como os da serra ou de tipo brie e camembert, refeições prontas a comer, saladas pré-confeccionadas ou produtos de charcutaria. Existe ainda, assegura a especialista, "em pelo menos sete por cento dos produtos lácteos comercializados em Portugal, segundo estudos efectuados há cerca de um ano", um valor que a investigadora considerou "altíssimo".Embora em pessoas saudáveis, a Listeria provoque algumas perturbações intestinais momentâneas, segundo a investigadora, cerca de um terço das pessoas imunodepressivas contaminadas com a Listeria morrem. Fonte: Lusa MNI-Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.