Radiohead pela causa das doenças mentais

Banda britânica presta ajuda e cede música

25 março 2003
  |  Partilhar:

Não é raro lermos notícias de bandas famosas que têm um papel activo nas questões sociais. Desta vez, a famosa banda britânica Radiohead cedeu uma música para um projecto da MTV no qual jovens cineastas irão realizar curtas-metragens para uma campanha de consciencialização para o problema das doenças mentais.
 

 

Deste modo, a faixa «Meeting In The Aisle» poderá ser usada de forma gratuita pelos realizadores. O projecto denominado «Need to Talk» está a ser elaborado em parceria do canal MTV com os grupos «Samaritans» e «Mind Out For Mental Health». Cada curta-metragem, alusiva ao problema que afecta milhares de pessoas em todo o mundo, terá a duração entre 30 segundos a um minuto.
 

 

 

Mas esta não é a única contribuição da banda considerada uma das melhores fazedoras de música do planeta. O grupo Radiohead informou recentemente estar a apoiar um novo serviço de aconselhamento psicológico da organização «Samaritanos», no qual as pessoas podem enviar emails onde falam dos seus problemas. O objectivo principal é ajudar principalmente adolescentes que têm dificuldade em falar dos seus sentimentos pelo telefone.
 

 

O baterista Phil Selway, que é voluntário dos Samaritanos há já vários anos, disse à Reuters que qualquer pessoa pode precisar da ajuda deles em algum momento de sua vida. E em especial os jovens: «Quando a maior causa de mortes entre jovens no Reino Unido vem deles mesmos (do suicídio), qualquer coisa que a banda possa fazer para atrair atenção para a questão da saúde emocional vale a pena», disse Phil Selway. E acrescentou: «De repente, falar sobre os seus sentimentos ou procurar apoio emocional pode ter um papel muito importante na comunidade e na nossa sociedade.»
 

 

Em declarações a uma rádio britânica, Selway lança o alerta: «As estatísticas são alarmantes. Acho que é a Organização Mundial de Saúde que afirma que, até o ano 2020, a maior causa de morte será a depressão.... Esses números obrigam as pessoas a pensar.»
 

 

A banda também doou uma música ao vivo e um videoclipe para o site oficial do grupo Samaritanos (http://www.samaritans.org.uk). A faixa, toda instrumental, foi lançada como lado B de um CD em 1997.
 

 

Números assustadores
 

 

Os números não deixam de fazer pensar, como disse o baterista dos Radiohead. Em todo o mundo, cerca de 450 milhões de pessoas sofrem de doenças mentais ou neurológicas. Um em cada quatro indivíduos terá o problema em algum momento da sua vida. Tudo isto vem no último relatório anual da Organização Mundial da Saúde (OMS).
 

 

Segundo o estudo, o preconceito faz com que dois terços das pessoas afectadas por esse tipo de doença não procurem ajuda profissional. Mas, na avaliação da OMS, o principal motivo é mesmo a falta de atenção dos governos para esta parcela da população que sofre doenças como depressão, epilepsia e esquizofrenia.
 

 

De facto, essas doenças já representam 11 por cento das doenças no mundo. Caso os países não tomem medidas, a proporção pode aumentar para 14 por cento em 2020. A depressão é a quarta doença mais frequente no mundo, com cerca de 121 milhões de pessoas atingidas. E até 2020, poderá ser a segunda maior doença, superada apenas pelos problemas cardíacos. Os números são alarmantes: 24 milhões de pessoas sofrem de epilepsia e 50 milhões são esquizofrénicos. A dependência alcoólica, também considerada transtorno mental, atinge 140 milhões de pessoas; 78 por cento não são tratados.
 

 

Pequena história dos Radiohead
 

 

Liderados pelo guitarrista e vocalista Thom Yorke, os Radiohead começaram a sua carreira em 1993 com o álbum «Pablo Honey». A banda era completada por Colin Greenwood, Jonny Greenwood, Ed O''Brien e Phil Selway, e graças ao hino de rock alternativo «Creep», com uma letra triste e introspectiva, tornaram-se conhecidos no mundo inteiro. Da suas criações, «OK Computer» é considerada uma verdadeira obra-prima. Uma das características da banda britânica é não gostar de protagonismos – rejeitando deliberadamente as luzes da ribalta -, bem como a sua atitude pública de crítica à indústria musical.
 

 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Com agências internacionais
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.