Queimaduras solares na infância...

...duplicam risco de melanoma

28 maio 2005
  |  Partilhar:

 

 

Num inquérito realizado junto de 2457 crianças, 27 por cento dizem ter antecedentes de queimaduras solares, 42 por cento tinham antecedentes de vermelhidão. O estudo realizado no ano passado em 26 escolas primárias da Zona Norte apresenta «números preocupantes em vários aspectos.
 

 

Quanto às medidas de protecção, 73 por cento dizem usar chapéu e 94 por cento referem colocar protector solar quando vão para a praia. Mas para o médico Osvaldo Correia, da Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia, esta utilização está a ser mal feita, porque só 30 por cento o colocam antes de ir para a praia, ignorando que a protecção demora 30 minutos a fazer efeito.
 

 

«Uma queimadura solar grave na infância pode duplicar o risco de melanoma [forma mais grave de cancro de pele]», alertou o especialista, numa conferência de imprensa, em Lisboa, a propósito do Dia Nacional de Prevenção do Cancro da Pele, que se assinala amanha, dia 30 de Maio. «É importante a correcta aplicação do protector solar, para não dar ideia de falsa segurança.» Há 41 por cento de meninos que respondem que o protector protege melhor do que a camisola.
 

 

Do elevado número de crianças a referir antecedentes de queimaduras solares, «está demonstrado que uma percentagem significativa ocorre na escola, à hora do almoço e recreio e, em seguida, nas horas de desporto», acrescenta, adiantando não ser só na praia que deve haver preocupação.
 

 

Por isso, é importante criar espaços de sombra nas escolas, com a existência de árvores. Concluiu-se no mesmo estudo que, muitas vezes, a ginástica faz-se ao ar livre. «É preciso sensibilizar as autoridades para realizarem actividades ao ar livre em horas não críticas [excluindo o horário entre as 11h30 e 16h30]».
 

 

A incidência do cancro da pele em Portugal mais que duplicou, nos últimos 15 anos. Na última década, a mortalidade aumentou a um ritmo anual de três por cento nos homens e de cinco por cento nas mulheres, tratando-se da mais elevada taxa de aumento anual da mortalidade específica por tumores malignos nas mulheres, acrescentou. O Dia Nacional de Prevenção do Cancro da Pele, que se assinala na segunda-feira, será marcado por uma acção nacional de rastreios ao tumor que decorrerá em 34 hospitais.
 

 

Fonte: Público
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.