Quatro portugueses candidatos ao prémio para jovens investigadores
17 setembro 2001
  |  Partilhar:

Uma centena de jovens investigadores com idades compreendidas entre os quinze e os vinte anos, incluindo quatro estudantes portugueses, vão participar esta semana em Bergen, Noruega, numa competição científica.
 

 

Os 95 participantes, provenientes da Europa, Estados Unidos, Japão, Coreia e América Latina, vão apresentar ao júri, até sábado, projectos variados que vão desde testes anti-doping a detergentes ecológicos, passando por sistemas de transformação da água salgada em água doce.
 

 

Este último é o tema de um dos dois trabalhos portugueses a concurso, da autoria de dois alunos do 12/o ano da Escola Secundária de Tavira, que estudou como o nível de salinidade evolui do litoral para o interior e procurou desenvolver alternativas para solucionar o problema.
 

 

A partir de um artigo na revista Fórum Ambiente, Eunice Carrapiço e Nuno Dias, ambos com 18 anos, começaram a interessar- se pelo problema da salinização das toalhas freáticas algarvias. "Desde há algumas décadas que o Algarve se tem desenvolvido muito rapidamente o que resultou numa sobreexploração dos aquíferos", explicou Nuno Dias.
 

 

Ao retirar-se demasiada água doce do aquífero, a captação começa a retirar água salgada e, sem saber, as pessoas começam a utilizar esta água nas regas.
 

 

Além de alertarem para o problema, estes jovens apresentaram também soluções teóricas, como um sistema de destilação, que "transforma" a água salgada em doce.
 

 

Corujas
 

 

O estudo dos hábitos alimentares das corujas das torres (Tyto alba) na região do Fundão, da autoria de dois alunos da Escola Secundária do Fundão, é o outro trabalho português que concorre na Noruega.
 

 

"Pertencemos ao Clube do Ambiente da escola e numa das saídas de campo encontrámos numa casa abandonada "plumadas", que são bolas de regurgitação dos alimentos das corujas", explicou Margarida Silva, 16 anos, que em conjunto com João Carvalho, 15 anos, realizou este trabalho.
 

 

O projecto destes alunos consistiu em abrir essas plumadas e descobrir que as corujas das torres da região do Fundão se alimentam sobretudo de roedores (62 por cento do total), insectívoros (29 por cento) e aves (9 por cento).
 

 

Na cerimónia de encerramento, que será presidida pelo príncipe herdeiro Haakon da Noruega, está prevista a presença de cinco galardoados com o prémio Nobel e de Achilleas Mitsos, director geral de Investigação da Comissão Europeia, segundo fontes comunitárias.
 

 

Prémios
 

 

O objectivo deste concurso é sublinhar perante a opinião pública a importância da ciência e tecnologia na sociedade.
 

 

Os três melhores projectos, que serão escolhidos por um júri composto por 12 cientistas, vão receber prémios de 5.000, 3.000 e 1.500 euros (mil, seiscentos e trezentos contos, respectivamente).
 

 

Os vencedores poderão ainda colaborar com o Observatório das Ilhas Canárias, com a Agência Espacial Europeia em Noordwijk (Holanda) e com o Instituto Polar norueguês, em Spitzbergen.
 

 

Outros dos jovens cientistas participantes poderão descobrir durante uma semana como funciona a Agência europeia de Patentes, em Munique (Alemanha), participar no Fórum Internacional de Jovens Cientistas em Londres (Reino Unido) ou assistir à cerimónia de entrega dos Prémios Nobel, em Estocolmo (Suécia).
 

 

Fonte: Lusa

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.