Quando a identificação dos medicamentos é um problema

Estudo publicado em “Journal of Health Communication: International Perspectives”

27 dezembro 2013
  |  Partilhar:
Um estudo recente publicado no “Journal of Health Communication: International Perspectives” atesta que muitos pacientes revelam dificuldades em distinguir os próprios medicamentos, conduzindo a problemas, como o risco acrescentado de hospitalização.
 
A equipa, liderada por Jennifer L. Lenahan, que esteve anteriormente ligada ao “Health Literacy and Learning Program” (“Programa de Literacia e Aprendizagem de Saúde”) na Feinberg School of Medicine na Northwestern University, em Chicago, EUA, concluiu que muitos pacientes que identificam os seus medicamentos para a pressão arterial através da cor, formato e tamanho, em vez do nome, aumentam o risco de descontrolo da sua pressão arterial e de uma consequente hospitalização.
 
Para o estudo, a equipa contou com a participação de pacientes com mais de 50 anos de idade e que sofriam de hipertensão arterial. Os participantes foram submetidos a questionários de forma a avaliar o conhecimento dos mesmos relativamente aos nomes de fármacos e dosagens, as características visuais dos mesmos, literacia em saúde, bem como hospitalizações ou idas às urgências.
 
Foi observado que, de uma forma geral, os pacientes revelavam problemas em denominarem corretamente os seus medicamentos. Verificou-se também que estes problemas eram proporcionais aos níveis de literacia em saúde dos mesmos. 
 
Os pacientes que dependiam da identificação visual dos seus medicamentos revelavam um pior seguimento das suas prescrições. Estes pacientes apresentavam um controlo da pressão arterial significativamente inferior, bem como um risco acrescido de serem hospitalizados. 
 
Os pacientes que demonstravam problemas em identificar os seus medicamentos, quer visualmente, quer através da denominação dos mesmos, foram os que revelaram os piores índices de adesão às suas prescrições.
 
Os investigadores concluem que, mesmo com rotulagem adequada, muitas pessoas continuam a ter problemas em tomar a sua medicação corretamente. O reconhecimento visual da medicação acarreta riscos, já que os medicamentos genéricos, por exemplo, mudam de aspeto visual com frequência.
 
Este estudo revela a necessidade de se aconselhar os pacientes sobre como tomar os medicamentos de forma segura e apropriada, bem como de se passar informação aos pacientes sobre os medicamentos que lhes são prescritos. É necessário também consciencializar os pacientes para os riscos da identificação visual dos medicamentos, considerando que estes podem mudar de aspeto, sendo que a identificação do nome do medicamento é a forma mais segura de o identificar. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.