Qual o papel das variações do genoma na tuberculose?

Estudo publicado na revista “Journal of Human Genetics”

11 setembro 2017
  |  Partilhar:
A tuberculose é provocada pela Mycobacterium tuberculosis, que foi o agente patogénico mais comum nas mortes por doenças infeciosas em 2016. Assim, a investigação sobre a biologia da infeção e o desenvolvimento da doença é importante para se conseguir erradicar a tuberculose. Neste estudo, os autores realizaram uma análise integradora das variações do genoma humano e do agente patogénico na tuberculose.
 
O estudo de associação global do genoma (Genoma-Wide Association Study – GWAS, sigla em inglês) é um método de análise usado para identificar variações de genomas associadas a doenças através da comparação das diferenças na frequência dos genótipos entre um caso e um grupo de controlo. Já foram feitos vários GWAS relativos à sensibilidade à tuberculose. Contudo, os GWAS anteriores não se basearam em análises que tivessem em conta as variações no agente patogénico. As possíveis interações entre as variações do genoma do hospedeiro e do agente patogénico são difíceis de analisar porque é necessário recolher de um grande número de doentes tanto o genoma humano infetado como o genoma do agente infecioso. Nesta investigação, os autores fizeram uma exploração sistemática das variações no hospedeiro procurando a sua associação a linhagens específicas da Mycobacterium tuberculosis, que partilham as mesmas variações do genoma do patogénico.
 
Este é o primeiro relatório GWAS a identificar a associação do material genético do hospedeiro com a tuberculose após a estratificação das variações do agente patogénico. Na comparação com o grupo de controlo, a frequência genótipa do polimorfismo de um único nucleótido (SNP, na sua sigla original em inglês) estava aumentada num grupo de doentes infetados por uma linhagem específica da Mycobacterium tuberculosis. Num outro grupo de doentes, infetados por outra linhagem, não se observou um aumento da frequência de SNP, o que é uma indicação da importância de analisar a interação entre as variantes do genoma do hospedeiro e do patogénico. O SNP identificado está localizado perto do gene CD53.
 
“Quase um terço da população mundial está infetada por Mycobacterium tuberculosis, mas apenas 10% desenvolvem sintomas de TB [tuberculose] ao longo da vida”, explica Yosuke Omae, o autor principal. “Esta investigação estabelece as bases da identificação daqueles que desenvolverão TB”. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.