Quais são os ingredientes para um Natal realmente feliz?

Estudo conduzido pelo Knox College

24 dezembro 2012
  |  Partilhar:

Compras, centros comerciais apinhados de pessoas, filas intermináveis no correio para enviar encomendas e postais de Natal, corridas ao supermercado para comprar aquele ingrediente que foi esquecido, falta de tempo, preocupações com o saldo bancário que não para de descer, pesquisas na internet para conseguir pechinchas na compra das prendas…
 

Segundo um estudo conduzido por Tim Kasser, professor de psicologia do Knox College, nos EUA, os momentos passados com a família e a espiritualidade são os ingredientes que concorrem para um Natal feliz, ao passo que gastar dinheiro e receber presentes desempenham um papel muito menos relevante na felicidade das pessoas na quadra natalícia.
 

Com base em experiência e atividades relatadas por 117 participantes a pesquisa procurou avaliar o bem-estar das pessoas durante a época natalícia.
 

Foram conduzidas sondagens sobre a importância da família, religião, tradições típicas da quadra, a necessidade de ajudar os outros, aspetos hedonísticos como as refeições de natal e outros aspetos ligados ao materialismo como gastar dinheiro e receber presentes.
 

“Descobrimos que a espiritualidade e a família aumentam a sensação de bem-estar no Natal”, afirmou Kasser. “Essas pessoas afirmaram ter tido um Natal mais feliz”, continua.
 

O estudo debruçou-se também sobre práticas ambientais na época natalícia. “Verificamos que quanto mais dedicadas as pessoas eram ao meio-ambiente, mais felizes se sentiam”. Kasser explica que “isto reveste-se de particular importância porque o Natal tem um mau impacto ambiental, com todos os embrulhos de presentes e o uso de eletricidade e de luzes…pode-se ter um Natal mais ecológico e ser-se mais feliz”.
 

Kasser afirma ainda, que apesar do seu estudo já ter alguns anos, continua a suscitar imensa atenção. Explica que as pessoas não estão satisfeitas com a forma como o Natal tem evoluído na nossa sociedade e que falta algo fundamental.
 

Apesar de não ser cristão o investigador considera que “Jesus foi um dos maiores opositores do materialismo de sempre. No entanto, o seu aniversário tornou-se numa celebração do consumismo e, pelo que li, esta é a última forma pela qual ele gostaria de ver o seu aniversário comemorado”.
 

O que parece ter acontecido na nossa cultura foi que “o consumismo e capitalismo passaram a dominar um aspeto da vida de forma a tirarem lucros daí”. Tim Kasser afirma ainda que “as pessoas a concentram-se no aspeto material do Natal em vez de na espiritualidade. Isto criou uma tensão entre Jesus e o Pai Natal”.
 

Tim Kasser e a família passam o Natal da forma mais simples possível. Cultivam a sua própria árvore de Natal que depois serve de alimento para os animais, oferecem-se um número limitado de presentes e embrulhados em papel de jornal, limitam o uso de luzes e enchem o carro com livros e brinquedos e roupa usada dos filhos para oferecerem.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.