Psoríase: severidade associada a maior risco de hipertensão

Estudo publicado no “JAMA Dermatology”

20 outubro 2014
  |  Partilhar:

Os indivíduos com psoríase moderada e severa apresentam um risco aumentado de ter hipertensão descontrolada, defende um estudo publicado no “JAMA Dermatology”.

 

A psoríase é uma doença inflamatória da pele que afeta cerca de 2 a 4% da população. A síndrome metabólica, pressão arterial elevada, obesidade e outros fatores de risco cardiovascular são mais comuns nos indivíduos com esta condição, comparativamente com a restante população.

 

Estudos anteriores tinham já sugerido que a psoríase severa estava associada a um risco aumentado de enfarte agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral e doença cardíaca. A hipertensão é o principal fator de risco da doença cardíaca, contudo a sua associação com a psoríase ainda não tinha sido investigada nos pacientes com pressão arterial elevada.

 

Assim, neste estudo, os investigadores da Escola de Medicina da Universidade de Pensilvânia, nos EUA, decidiram averiguar se a severidade da psoríase influenciava a severidade da hipertensão nos indivíduos com estas duas condições. O estudo contou com a participação de 1.322 pacientes com as duas condições e com 11.977 indivíduos que integraram o grupo de controlo.

 

Os investigadores constataram que havia uma associação dose-resposta entre a hipertensão descontrolada e a severidade da psoríase. Isto significa que quanto maior a severidade da doença dermatológica, maior o risco dos pacientes terem a pressão arterial elevada descontrolada. A hipertensão descontrolada foi definida como pressão arterial sistólica acima dos 140 mm Hg e pressão diastólica superior a 90 mm Hg.

 

O estudo teve em conta fatores como idade, índice de massa corporal, tabagismo, consumo de álcool e outras condições médicas que poderiam influenciar os resultados, incluindo, diabetes, doença renal ou cardíaca.

 

“Tendo em conta o atual e limitado conhecimento dos efeitos da psoríase na pressão arterial, os nossos resultados têm implicações clínicas importantes e sugerem que há uma maior necessidade de controlo eficaz da pressão arterial em pacientes com psoríase, especialmente naqueles que têm uma área de superfície corporal afetada maior ou igual a 3%”, concluem os investigadores.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.