Proximidade com prestador de cuidados diminui declínio da doença de Alzheimer

Estudo publicado no “Journal of Gerontology”

10 agosto 2009
  |  Partilhar:

Os indivíduos que sofrem da doença de Alzheimer e que têm uma relação próxima com o seu prestador de cuidados apresentam um menor declínio das suas funções cognitivas e físicas ao longo do tempo, sugere um estudo publicado no “Journal of Gerontology”.

 

Os investigadores da Utah State University, EUA, contaram com a participação de 167 indivíduos com mais de 65 anos que sofriam da doença de Alzheimer, bem como dos seus prestadores de cuidados.

 

Durante quatro anos, os investigadores submeterem periodicamente os pacientes a uma bateria de testes por forma a avaliar o seu estado de saúde. Aos prestadores de cuidados foi também solicitado o preenchimento de um questionário que tinha por objectivo avaliar o tipo e a proximidade da relação que mantinham com os pacientes.

 

O estudo revelou que os indivíduos que eram tratados pelos seus cônjuges apresentavam um menor declínio das suas funções, sendo que quanto mais próxima era a relação entre o paciente e o prestador de cuidados, menor era o declínio das suas funções ao longo do tempo.

 

Na opinião dos investigadores liderados por Maria Norton, o facto de os prestadores de cuidados darem mais tempo e atenção aos doentes faz com que estes sejam estimulados social e cognitivamente.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.