Proteínas da pulga-das-neves podem ajudar a conservar órgãos usados em transplantes

Descoberta aumenta tempo da criopreservação

21 novembro 2005
  |  Partilhar:

 

Cientistas canadianos isolaram a partir de pulgas-da-neve duas poderosas proteínas anticongelantes, capazes de baixar em seis graus Celsius a temperatura de formação do gelo. Isto permitiria preservar órgãos para transplante a temperaturas mais baixas, aumentando o tempo de espera entre a colheita e o transplante, já que uma das principais dificuldades da criopreservação é a formação de cristais de gelo, que danificam os materiais vivos.
 

 

A equipa da Queens University, em Ontário, no Canadá, publicou recentemente na revista Science um estudo onde relata a descoberta destas duas proteínas anticongelantes e sugere ainda várias aplicações médicas e industriais.
 

 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.