Proposta de lei dificulta integração precoce de crianças

Associação Portuguesa de Deficientes apresenta criticas

17 junho 2003
  |  Partilhar:

A Associação Portuguesa de Deficientes (APD) criticou terça-feira que a proposta governamental de Lei de Bases da Educação de encaminhar as crianças com necessidades especiais para instituições particulares em vez de promover a sua integração.
 

 

As críticas da APD, assentes na importância de uma educação para a inclusão, foram apresentadas ao ministro da Educação, David Justino, que, segundo as representantes da APD, se mostrou sensível às alterações defendidas.
 

 

Em causa está o artigo 26º da proposta de Lei de Bases da Educação, referente às modalidades de educação especial, por «não clarificar a necessidade de uma intervenção precoce nas crianças dos zero aos três anos de idade», disse, em declarações à imprensa, Maria José Ruivo, da APD.
 

 

Rosa Guimarães, também da APD, lamenta que a actual lei não clarifique o que fazer às crianças com necessidades especiais nesta faixa etária, alegando que «se o Governo não investir neste campo vão continuar a existir bolsas de pobreza, pessoas que subsistem à conta de subsídios quando podiam ser úteis à sociedade».
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.