Projecto «Música no Hospital»

Músicos recebem formação em geriatria e pediatria

10 dezembro 2004
  |  Partilhar:

  Em Portugal, o projecto Música no Hospital nasceu através de uma parceria entre duas unidades de saúde - o Garcia de Orta, em Almada, e o D. Estefânia, na capital - e a Orquestra Metropolitana de Lisboa, onde um grupo de 12 músicos iniciou um ano de formação.  O curso, que termina no próximo Verão, é ministrado por psicólogos, médicos, enfermeiros, músicos e assistentes sociais e está dividido em três áreas: música, geriatria e pediatria. Na primeira trata-se de uma formação complementar. Os alunos têm de aprender diversos géneros de repertórios, desde canções de embalar até melodias dos anos 20.  Além de ensinar como é que os músicos devem situar-se no espaço hospitalar, a formação integra também uma componente prática. Os alunos fazem estágios semanais em seis instituições, três com crianças e outras tantas ligadas a idosos: Hospital D. Estefânia, serviços de pediatria do Garcia de Orta e do Amadora-Sintra, lar da Santa Casa da Misericórdia de Almada, lar de idosos da Arifa (Seixal) e Mansão Marvila (também para idosos).  O financiamento do projecto começou com um subsídio da Fundação Gulbenkian, é apoiado pela Liga dos Amigos do Hospital Garcia de Orta e procura patrocinadores para prosseguir. Esses apoios serão necessários sobretudo para permitir a continuidade da iniciativa, após o fim da formação. Só no hospital Garcia de Orta a presença futura dos músicos está garantida, graças à Liga dos Amigos.  Além de Itália, França e Portugal, o projecto poderá desenvolver-se noutros pontos. Vítor Flusser, através da Universidade de Estrasburgo e da recentemente criada Associação Europeia para a Música no Hospital, quer alargar a iniciativa a países como o Brasil, a Alemanha e a Bélgica.  Fonte: Jornal de Notícias

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.