Prognóstico de cancro da próstata será mais certeiro

Comentário do urologista Arnaldo Figueiredo a estudo publicado na “Nature”

18 fevereiro 2009
  |  Partilhar:

Um trabalho de investigação publicado na revista “Nature” dá conta da identificação de uma molécula, denominada sarcosina, que, ao ser detectada na urina, poderá ajudar os médicos a distinguir os tumores de evolução lenta dos que exigem tratamento mais rápido e agressivo.
 

 

No estudo liderado por Arul Chinniayan, da University of Michigan, EUA, foi detectada uma quantidade muito maior de sarcosina nos casos mais agressivos da doença.
 

 

Em entrevista dada à agência Lusa, o professor Arnaldo Figueiredo, secretário-geral da Associação Portuguesa de Urologia (APU), explicou tratar-se de um estudo muito preliminar, ainda a requerer confirmação, "mas muito promissor, não tanto em termos de diagnóstico, mas de clarificação da agressividade da doença, ou seja, de prognóstico".
 

 

Para o urologista dos Hospitais da Universidade de Coimbra e professor da Faculdade de Medicina da mesma instituição de ensino superior, o estudo agora publicado aponta não para um substituto do PSA (Antigénio específico da próstata), um indicador da doença na urina que permite o seu diagnóstico precoce, "mas para um seu complemento, no sentido de refinar nos homens com carcinoma da próstata os que têm um padrão biológico que faça prever uma evolução rápida da doença".
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.