Produtos usados na medicina ayurvédica podem ser perigosos

Medicina alternativa indiana terá causado envenenamentos nos EUA

22 fevereiro 2005
  |  Partilhar:

 

 

Níveis Perigosos de chumbo, mercúrio e arsénico foram encontrados em alguns remédios herbais produzidos na Índia e vendidos nos Estados Unidos.
 

 

Níveis suficientemente altos para causar envenenamento foram detectados em 14 dos 70 produtos usados pela medicina indiana _produzidos no sul da Ásia e comprados por lojas da região de Boston, Estados Unidos, afirma um estudo liderado pelo médico Robert Saper da Escola de Medicina de Harvard. Saper está agora na Universidade de Boston.
 

 

Alguns produtos ayurvédicos usam uma combinação de metais pesados com ervas e são vendidos em algumas lojas de comidas saudáveis e mercearias indianas nos Estados Unidos como medicamentos auxiliares na alimentação para, por exemplo, diabetes e artrite.
 

 

Praticada na Índia nos últimos cinco mil anos, a Medicina Ayurvédica (que significa « ciência da vida» baseia os tratamentos em ervas e produtos dietéticos.
 

 

No estudo, os investigadores não verificaram se as pessoas que usaram os produtos estudados ficaram doentes, mas o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças disse que entre Julho de 2000 a 2003 recebeu relatos de 12 adultos, em cinco estados, que foram envenenados depois de usarem produtos ayurvédicos.
 

 

Cerca de 80 por cento da população indiana utiliza esses produtos e uma análise sanitária norte-americana realizada no ano 2000 estimou que 750 mil norte-americanos adultos também os usassem.
 

 

Os investigadores, entretanto, alertaram as pessoas que usam _ ou já tenham usado os produtos herbais _ para consultarem um médico, de modo a serem efectuados exames sobre a presença de metais pesados no organismo.
 

 

Mas os investigadores também alertam os médicos que estejam a tratar de doentes com envenenamento inexplicável para que levem em consideração os produtos ayurvedicos como uma possível fonte.
 

 

Este tipo de envenenamento pode causar dores abdominais e de cabeça, fadiga e irritabilidade. O estudo foi publicado no jornal da Associação Médica Norte-Americana.
 

 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

Jornalista
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.