Problemas psiquiátricos: genes são activados mesmo antes do nascimento

Estudo publicado na “Nature”

31 outubro 2011
  |  Partilhar:

A maioria dos genes associados a problemas psiquiátricos são activados antes do nascimento, durante o desenvolvimento do cérebro, dá conta um estudo publicado na “Nature”.
 

A criação de cem mil milhões de células cerebrais e o incalculável número de ligações estabelecidas entre elas é uma tarefa muito complexa levada a cabo por cerca de 86% dos 17 mil genes humanos até agora estudados. Neste estudo, os investigadores da Yale University, nos EUA, avaliaram não só os genes que estão envolvidos no desenvolvimento do cérebro, mas também onde e como eles são expressos ou activados.
 

Em comunicado enviado à imprensa, a líder do estudo, Nenad Sestan, revelou que “já conhecíamos muitos do genes envolvidos no desenvolvimento do cérebro, mas agora sabemos onde e como eles funcionam no cérebro humano. A complexidade do sistema mostra porque é que o cérebro humano pode ser tão susceptível a doenças psiquiátricas.”
 

Para este estudo, os investigadores analisaram 1.340 amostras de tecido cerebral de 57 indivíduos recolhidas desde os 40 dias após a concepção até aos 82 anos. Esta análise permitiu obter um mapa, sem precedentes, da actividade cerebral nas diferentes etapas do desenvolvimento.
 

Os autores do estudo analisaram, entre muitos outros, os genes e as suas variantes associadas ao autismo e esquizofrenia, cujos sintomas são, respectivamente, evidentes nos primeiros anos de vida ou durante a idade adulta. Esta inovadora análise mostra evidências moleculares da expressão destes genes mesmo antes do nascimento.
 

“Encontramos um padrão de expressão genética e variações pré-natais em áreas do cérebro envolvidas nas funções cognitivas superiores”, explica Nenad Sesta. “Ficou claro que estes genes associados a este tipo de doenças são regulados durante o desenvolvimento.”
 

Esta equipa de investigadores também analisou as diferenças entre os cérebros das mulheres e dos homens. Era esperado encontrar diferenças nos genes do cromossoma Y, que apenas estão presentes no homem. No entanto, ficou demonstrado que os homens e as mulheres apresentam muitas diferenças em muitos dos genes partilhados por ambos os sexos, tanto no que respeita à sua expressão como ao nível dessa mesma expressão. A maior parte das diferenças foram observadas antes do nascimento.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 4
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.