Probióticos protegem ossos de mulheres idosas

Estudo publicado na “Journal of Internal Medicine

26 junho 2018
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores demonstrou pela primeira vez que os probióticos podem ser usados para protegerem o esqueleto humano. 
 
Um ensaio clínico randomizado e duplamente cego conduzido por Mattias Lorentzon e equipa de investigadores, da Academia Sahlgrenska da Universidade de Gotemburgo, Suécia, revelou que a bactéria Lactobacillus reuteri, estirpe conhecida como 6475, exerce um efeito protetor significativo sobre o esqueleto de mulheres idosas.
 
Para o estudo, os investigadores recrutaram 90 mulheres idosas com 76 anos ou mais de idade. Foi pedido às participantes que tomassem um pó que continha um tratamento ativo com a bactéria Lactobacillus reuteri 6475 ou um placebo. Tanto as mulheres como os investigadores desconheciam quem tinha tomado o quê durante o estudo.
 
“Quando terminámos o estudo um ano depois, medimos a perda óssea nas mulheres na parte inferior das pernas com ressonância magnética e comparámo-la com as medições que tínhamos feito quando o estudo começou”, disse Anna Nilsson, uma das investigadoras.
 
A equipa descobriu que as mulheres que tinham tomado o probiótico tinham perdido apenas metade de massa óssea em relação às que tinham recebido um placebo. Foi igualmente verificado que o tratamento foi bem tolerado, sem mais efeitos secundários do que os nas mulheres que tinham tomado o pó inativo.
 
Esta descoberta poderá ter implicações importante no futuro, pois, as mulheres mais velhas são o grupo que se encontra mais em risco de osteoporose e de fraturas.
 
“O tratamento com probióticos poderá ser uma forma eficaz e segura de prevenir o desencadeamento de osteoporose em muitas pessoas mais velhas no futuro”, concluiu Mattias Lorentzon, igualmente investigador neste estudo.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar