Probióticos ajudam prematuros a aumentar de peso

Estudo apresentado no encontro anual do Pediatric Academic Societies

10 maio 2010
  |  Partilhar:

A ingestão de probióticos ajuda os bebés prematuros que nascem com um peso extremamente baixo a aumentar de peso, sugere um estudo apresentado no encontro anual do Pediatric Academic Societies, em Vancouver, EUA.

 

Segundo a Organização Mundial de Saúde, os probióticos são organismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, favorecem a saúde do hospedeiro. Uma função benéfica evidente é o seu efeito na saúde digestiva e no sistema imunitário. No entanto, a segurança e a eficácia dos probióticos nos prematuros com peso extremamente baixo ainda não tinha sido estudada.

 

Neste estudo, investigadores do Saint Louis University School of Medicine, nos EUA, avaliaram o efeito da alimentação entérica suplementada com probióticos em prematuros com um peso extremamente baixo, 2 kg ou menos. Os investigadores colocaram a hipótese de que, em comparação com as crianças do grupo de controlo, as crianças alimentadas com probióticos iriam tolerar um maior volume de alimentação por dia, crescer mais rapidamente e requerer menos dias de tratamento antimicrobiano.

 

O estudo contou com a participação de 101 prematuros que foram divididos em dois grupos: um grupo recebeu 500 Unidades Formadoras de Colónias de Lactobacillus rhamnosus GG e de Bifidobacterium infantis através de alimentação entérica, uma vez por dia até às 34 semanas e o outro grupo foi alimentado sem a inclusão de probióticos.

 

Os investigadores constataram que os bebés que receberam probióticos aumentaram mais de peso, apesar do volume médio das suas refeições ser menor do que as do grupo de controlo. Os autores do estudo também não observaram nenhum efeito colateral decorrente da ingestão de probióticos. Por outro lado, os dois grupos de crianças apresentaram taxas semelhantes de complicações associadas à prematuridade, nomeadamente sépsis ou inflamação aguda do intestino.

 

O autor do estudo, Mohamad Al-Hosni, revelou em comunicado de imprensa que os resultados sugerem que “a ingestão de probióticos tem um papel importante na tolerância à alimentação e na absorção de nutrientes”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.