Prisão de ventre e o risco de desenvolver Parkinson
13 agosto 2001
  |  Partilhar:

Os homens que sofrem de prisão de ventre têm mais possibilidades de padecer da doença de Parkinson, de acordo com um estudo realizado nos Estados Unidos e divulgado segunda-feira.
 

 

O estudo não determina, contudo, se o problema intestinal é um sinal precoce ou um marcador da doença.
 

 

A investigação, realizada nas Universidades de Virgínia, em Charlottesville, e do Havai, em Honolulu, considera que a prisão de ventre "pode ser um antecedente dos sintomas de Parkinson muitos anos antes desta aparecer".
 

 

A prisão de ventre é uma desordem gastrointestinal muito comum entre as pessoas a quem já foi diagnosticada a doença de Parkinson.
 

 

O estudo realizado, cujos resultados foram publicados na revista da Academia norte-americana de Neurologia, refere-se exclusivamente a homens.
 

 

Segundo os resultados obtidos, entre os homens com problemas de prisão de ventre existe um risco três vezes superior de desenvolverem a doença de Parkinson ao longo dos 24 anos seguintes do que entre homens não afectados pela desordem intestinal.
 

 

A doença de Parkinson é uma doença nervosa crónica que se caracteriza por tremores, debilidade muscular e rigidez.
 

 

Aparenta ter a sua origem no cérebro, onde ocorre uma destruição das células na zona que produz a dopamina, um transmissor neuronal implicado no vigor muscular, entre outras missões importantes.
 

 

O facto da dopamina controlar a rigidez muscular parece ser o vínculo de união com a prisão de ventre, mas os cientistas consideram que necessitam de mais investigações para determinar se esta desordem intestinal é uma consequência da doença ou um marcador que adverte o seu desenvolvimento.
 

 

"Esta é uma descoberta importante porque pode ajudar-nos a entender como avança a doença", assinalou Robert Abbott, o principal autor do estudo.
 

 

"Também pode ajudar-nos a identificar mais eficazmente as pessoas que se suspeita que possam ter a doença ou pessoas em risco de a desenvolver no futuro", acrescentou.
 

 

O estudo adiantado agora faz parte de uma investigação mais ampla, na qual se controlaram 6.790 homens com idades compreendidas entre os 51 e os 75 anos durante 24 anos.
 

 

A prisão de ventre, que os investigadores consideram existir quando se vai à casa de banho, por média, menos de uma vez por dia, afecta cerca de cinco por cento da população.
 

 

Neste estudo, os homens com prisão de ventre tinham 2,7 vezes mais possibilidades de desenvolver a doença de Parkinson nos 24 anos que durou o estudo do que os homens que defecavam pelo menos uma vez por dia.
 

 

Para calcular o risco e a relação entre a doença de Parkinson e a prisão de ventre, os cientistas tiveram em conta factores como a idade, o consumo de tabaco, o recurso a laxantes, o consumo de frutas, vegetais e cereais, todos eles factores que também podem influenciar o funcionamento dos intestinos.
 

 

 

Fonte: Lusa
 

 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.