Primeiro transplante para a esclerose múltipla

Paciente recebeu, pela primeira vez, células nervosas específicas para tentar tratar esta doença

23 julho 2001
  |  Partilhar:

Uma mulher de 53 anos foi a primeira pessoa a ser submetida a um transplante de células nervosas específicas para se tentar travar o desenvolvimento da esclerose múltipla.
 

 

A esclerose múltipla caracteriza-se por, tal como acontece noutras doenças neurodegenerativas, uma danificação da mielina que é atacada pelo sistema imunitário da pessoa. A mielina é um substância que reveste as fibras nervosas e é essencial ao seu correcto funcionamento, tal como o revestimento de plástico ajuda o correcto transporte de energia pelos fios eléctricos. Os doentes apresentam uma degradação da mielina crescente que se traduz num enfraquecimento muscular, problemas de memória e de visão.
 

 

Este novo procedimento foi testado em ratos e consistiu na transplantação de células produtoras de mielina, chamadas células de Schwann, para zonas do sistema nervoso central que tenham perdido mielina. No modelo animal as células transplantadas não foram rejeitadas e começaram a produzir a mielina necessária.
 

 

A cirurgia na paciente envolveu a transplantação de células de Schwann do tornozelo para o seu cérebro. Este foi considerado um teste clínico de primeira fase, que tem como objectivos aferir a segurança do método.
 

 

Os médicos dizem que a paciente, para já, está a reagir bem e não há sinais de rejeição ou efeitos secundários nefastos.
 

 

Os médicos avisam, no entanto, que há muitos testes a fazer, principalmente quanto à segurança do procedimento, uma vez que este é potencialmente perigoso, já que envolve furar o crânio em diversos locais.
 

 

Daqui a seis meses, os médicos vão retirar uma biópsia do cérebro da paciente e verificar se se produziu mielina eficazmente. No próximo mês, mais dois pacientes vão ser operados e, se os resultados forem encorajadores, a equipa vai efectuar os testes clínicos de fase II.
 

 

Os investigadores advertem, porém, que as pessoas devem ter em mente que este não é um meio imediato de curar a esclerose múltipla.
 

 

Fonte: CNN

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.