Primeiro ano da escola primária desenvolve atenção nas crianças?

Estudo publicado na Psychological Science

15 maio 2017
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores conduziu um estudo que parece indicar que o primeiro ano na escola primária faz melhorar as competências de atenção da criança.
 
Conduzido por uma equipa de investigadores da Universidade da Califórnia em Berkeley, EUA, e pelo Instituto para o Desenvolvimento Humano Max Planck, Alemanha, o estudo demonstrou que as crianças que tinham transitado mais cedo para um ambiente escolar mais formal revelavam ser menos impulsivas e mais focadas do que crianças da mesma idade em ambiente de pré-escola.   
 
O estudo teve por base a comparação de crianças de cinco anos que tinham entrado mais cedo para a escola e crianças da mesma idade que frequentavam o infantário. Para o efeito, os investigadores contaram com a participação de 62 crianças de cinco anos de idade.
 
Para avaliarem o desempenho cognitivo das crianças, os investigadores efetuaram exames de imagem por ressonância magnética funcional ao cérebro das crianças e conduziram testes computorizados, no início e final da ano escolar e pré-escolar.
 
A comparação dos testes de ambos os grupos revelou que as crianças que tinham ingressado mais cedo na escola primária demonstraram um maior desenvolvimento na capacidade de concentração e de respeito pelas regras do que as crianças da pré-escola. 
 
Adicionalmente, os exames de imagem por ressonância magnética funcional demonstraram que durante uma tarefa que requeria controlo relativamente à atenção, as crianças na escola primária tinham o lobo parietal direito (parte relacionada com a capacidade de atenção e outras competências cognitivas) mais ativo.
 
Silvia Bunge, docente de Psicologia e Neurociências da Universidade da Califórnia em Berkeley e coautora do estudo, comentou que “estes resultados demonstram pela primeira vez que o contexto ambiental molda o desenvolvimento de mecanismos cerebrais em (crianças de) cinco anos que estão a transitar para a escola”. 
 
A equipa estima ainda que um contexto educacional controlado, em que as crianças pequenas têm que aprender a permanecer sentadas, a seguir instruções e a evitar distrações, poderá fomentar algumas competências cognitivas.
 
No entanto, “estes resultados não devem ser interpretados como querendo dizer que o ambiente da escola primária seja necessariamente melhor do que a educação pré-escolar baseada na brincadeira para o desenvolvimento das crianças pequenas”, ressalvou a investigadora. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar