Primeira associação de luta contra cancro do pulmão

Pulmonale vai apoiar doentes e familiares

20 setembro 2010
  |  Partilhar:

Os doentes com cancro do pulmão em Portugal contam desde a semana passada com o apoio da primeira associação criada com o objectivo de combater e prevenir o cancro do pulmão.

 

Segundo um documento publicado pela agência Lusa, a Pulmonale – Associação Portuguesa de Luta Contra o Cancro do Pulmão – tem como objectivo apoiar as pessoas que querem deixar de fumar, reduzir o risco de desenvolver a doença, ajudar os doentes com cancro, seus familiares e amigos, ajudar nas campanhas de prevenção de início de consumo de tabaco e ainda na investigação científica.

 

Este trabalho será feito essencialmente a dois níveis: por um lado, através de informação disponibilizada no sítio da associação sobre a doença e sobre o que existe em termos de apoios e, por outro lado, através de apoio social e nutricional que será dado por especialistas nas futuras instalações da Pulmonale.

 

De acordo com António Araújo, presidente da Pulmonale, em entrevista à agência Lusa, “o grande problema (desta doença) é que não há método de rastreio ou diagnóstico precoce, por isso torna-se difícil de o fazer em estádios precoces. Em 70% dos casos, a doença apresenta-se em estádios avançados”. Muito porque, adiantou, normalmente os indivíduos que contraem a doença “são fumadores e já têm os sintomas típicos dos fumadores, tosse ou falta de ar”, sinais que dificultam o diagnóstico.

 

O cancro do pulmão tem uma incidência de 3.500 novos casos por ano, sendo o quarto cancro mais incidente e aquele que mais mata. Cerca de 85% dos casos são fumadores ou ex-fumadores e o número de casos em mulheres está a aumentar, como consequência do aumento do consumo de tabaco.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 1 Comentar

FAZER PARTE DA ASSOCIAÇÃO

Gostaria de fazer parte da associação, gostaria que me obter mais informações.
O meu pai faleceu á 4 anos com adenocarcinoma de pulmão e tinha apenas 67 anos. Debato-me diáriamente com este vício de fumar, n consigo abandonar este vício, e já fumo uma média de 450 cigarros.

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.