Prevenção da gripe: Hospital de Coimbra e centros de saúde partilham informação

Declarações do presidente do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra

26 dezembro 2014
  |  Partilhar:
Várias entidades de saúde da região Centro e o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUH) assinaram um acordo que prevê partilha de informação para antecipação da resposta à gripe.
 
De acordo com o que é referido no protocolo, o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) compromete-se a monitorizar o acesso e tempos de espera nos serviços de urgência, a reforçar, quando necessário, o número de profissionais da equipa de urgência e a dotação de camas de internamento, a acompanhar o acesso de doentes com registo de gripe e a garantir informação bidirecional com os cuidados de saúde primários.
 
A partir da troca de informações entre os cuidados de saúde primários e os cuidados de saúde hospitalares, será possível um trabalho "de proximidade" e de "antecipação", com os serviços do CHUC a "aumentarem a sua capacidade quando necessário", revelou à agência Lusa, o presidente do CHUC, José Martins Nunes.
 
A articulação entre as diferentes entidades permite “adequar os recursos” e “ultrapassar este surto de gripe com menor dificuldade”, acrescentou.
 
O protocolo de colaboração foi assinado esta semana entre a Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC), através do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Baixo Mondego e do ACES de Pinhal Interior Norte, e o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, no âmbito da gripe sazonal.
 
Está também previsto que os ACES alarguem a vacinação contra a gripe sazonal nos grupos de risco, independentemente da sua idade, reforcem, se necessário, a equipa da Linha Saúde 24 e as equipas dos centros de saúde em consulta de atendimento agudo, e monitorizem o número de casos de gripe sazonal e de atendimentos agudos em consulta complementar.
 
A Administração Regional de Saúde informou que cerca de 60% dos idosos da região Centro já estão vacinados contra a gripe, tendo já sido administradas mais de 200 mil vacinas das 240 mil disponibilizadas.
 
O diretor do ACES do Baixo Mondego, António Morais, acrescentou ainda que 93% da população idosa a viver em lares no Baixo Mondego está vacinada, havendo uma maior aposta nesta vertente por serem pessoas que vivem "num espaço confinado, com várias patologias e em que o impacto da gripe poderia ser mais grave".
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.