Prevalência do aneurisma da aorta abdominal é de 2,4% no grupo de risco

Dados do Rastreio Nacional do Aneurisma da Aorta Abdominal

26 junho 2012
  |  Partilhar:

A prevalência do aneurisma da aorta abdominal (AAA) no grupo de risco, homens com mais de 65 anos é de 2,4%, dá conta o Rastreio Nacional do Aneurisma da Aorta Abdominal.

 

Este rastreio liderado por Armando Mansilha, professor de Cirurgia Vascular na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) e secretário-geral da Sociedade Portuguesa de Angiologia e Cirurgia Vascular (SPACV), percorreu, numa unidade móvel, todas as capitais de distrito do continente, passando ainda por Ponta Delgada e Funchal, numa “iniciativa inédita não só a nível nacional, mas também a nível europeu”.

 

O comunicado enviado pela Universidade do Porto dá conta que este projeto envolveu o preenchimento de um questionário para tratamento estatístico, a medição da tensão arterial e a realização de uma ecografia abdominal. No total, foram avaliados 1.604 homens com uma média de idade de 74 anos.

 

Além da prevalência desta patologia, os resultados permitiram apurar os fatores e os indicadores de risco presentes na população submetida ao rastreio. De acordo com, Armando Mansilha “mais de metade dos rastreados são ou foram fumadores (51,8%), mais de 60% revelaram sofrer de hipertensão e 46% acusaram colesterol elevado”. Quanto aos indicadores de risco, doença coronária e doença carotídea, que permitem avaliar o risco de enfarte e de acidente vascular cerebral - foram avaliados em 17% e 7,8%, respetivamente.

 

A aorta é a principal artéria que distribui o sangue pelo organismo. Tem origem no coração e desce pelo tórax e pelo abdómen acabando em duas artérias, uma para cada membro inferior. O aneurisma da aorta abdominal é “o mais frequente dos aneurismas, é silencioso, não dói e só dá sinais quando rompe” e “ao romper é, por normal, fatal”, explicou o cirurgião-vascular.

 

“Em caso de rotura, menos de metade dos casos chega com vida ao hospital”, disse o investigador, referindo que “a melhor forma de prevenção é o rastreio através de uma simples ecografia abdominal”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.