Pressão arterial deve ser medida nos dois braços

Estudo publicado no “The American Journal of Medicine”

28 fevereiro 2014
  |  Partilhar:

A pressão arterial deve ser medida nos dois braços uma vez que a diferença entre a pressão sistólica dos dois braços está associada com um aumento significativo de risco de eventos cardiovasculares futuros, defende um estudo publicado no “The American Journal of Medicine”.
 

A maioria das medições efetuadas à pressão arterial é apenas realizada num dos braços. Apesar de a comunidade científica suspeitar que havia uma associação entre a pressão arterial medida nos dois braços e o risco cardiovascular, até à data não existiam dados suficientemente concretos para apoiar esta hipótese.
 

Neste estudo, os investigadores do Massachusetts General Hospital, nos EUA, contaram com a participação de 3.390 indivíduos com 40 ou mais anos de idade. No início do estudo nenhum dos participantes tinha doenças cardiovasculares. Os investigadores verificaram que a média absoluta das diferenças entre a pressão arterial dos dois braços era de 4,6mmHg.
 

Ao longo do período de acompanhamento, que teve uma duração média de 13 anos, foi verificado que 598 dos participantes sofreram o seu primeiro evento cardiovascular, 83 dos quais apresentavam uma diferença na pressão arterial sistólica nos dois braços menor que 10 mmHg.
 

“Verificámos que um aumento da diferença entre a pressão sistólica dos dois braços estava associada a um aumento da incidência de eventos cardiovasculares, sendo esta associação independente dos fatores de risco cardiovasculares tradicionais”, revelou, em comunicado de imprensa, o primeiro autor do estudo, Ido Weinberg.
 

O estudo apurou ainda que os indivíduos que apresentam diferenças na pressão arterial dos dois braços tendiam a ser mais velhos, tinham uma maior prevalência de diabetes mellitus, uma maior pressão arterial sistólica e um nível mais elevado de colesterol total.
 

Com bases nestes achados, os investigadores aconselham os médicos a realizarem a leitura da pressão arterial nos dois braços de forma a obterem resultados mais precisos. ”Mesmos que as diferenças sejam não sejam grandes, estas podem refletir um aumento do risco cardiovascular”, conclui Ido Weinberg.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.