Preservativos falsificados podem ter chegado a Portugal

Comunicado do INFARMED

16 novembro 2006
  |  Partilhar:

O Instituto Nacional da Farmácia e do Medicamento (INFARMED) alertou para a possibilidade de existência de preservativos falsificados no mercado, depois de um aviso da autoridade congénere inglesa.
 

 

Em comunicado, o INFARMED revela que, segundo a autoridade britânica - "Medicines and Healthcare Products Regulatory" Agency (MHRA) -, os preservativos contrafeitos são da marca Durex Extra Safe (três unidades), com o lote número 20.604.354 e validade até Julho de 2009, foram postos à venda no mercado inglês.
 

 

Depois de contactados pelas autoridades, os importadores da marca em Portugal garantem que o lote não chegou ao mercado nacional. "No entanto, dado que existe livre circulação de dispositivos médicos no Espaço Económico Europeu, os referidos preservativos poderão ter sido importados por vias paralelas, e encontrarem-se ilegalmente colocados no nosso mercado", salienta o INFARMED, num comunicado datado de sexta-feira.
 

 

A autoridade portuguesa informa ainda que, segundo o fabricante dos preservativos Durex (SSL International), o lote original foi vendido em Maio de 2005, "pelo que qualquer embalagem que ainda esteja em circulação com o número de lote 20.604.354 é provavelmente contrafeita, pelo que deve ser recolhida do mercado".
 

 

O INFARMED aconselha os utilizadores e vendedores que confirmem o lote dos produtos utilizados e, caso verifiquem que se trata do lote em causa, devem devolvê-los ao fornecedor ou entregá-los ao INFARMED.
 

 

MNI-Médicos Na Internet
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.