Prescrição electrónica adiada para 1 de Julho

Decisão anunciada pela ministra da Saúde

24 fevereiro 2011
  |  Partilhar:

O Governo adiou para 1 de Julho a entrada em vigor da obrigatoriedade de as receitas de medicamentos serem electrónicas para haver comparticipação do Estado, anunciou esta semana a ministra Ana Jorge, citada pela agência Lusa.

 

A obrigatoriedade contempla, contudo, quatro excepções, acordadas entre a tutela e as Ordens dos Médicos e dos Médicos Dentistas, cujos bastonários também estiveram presentes na conferência de imprensa. “A prescrição no domicílio, a falência no sistema electrónico, os profissionais com volume de prescrição reduzido e outras situações excepcionais, de inadaptação comprovada, precedidas de registo e confirmação na Ordem profissional respectiva”, são as excepções contempladas.

 

Inicialmente agendada para 1 de Março, a entrada em vigor desta medida foi adiada quatro meses e “será consagrada a partir de 1 de Julho, sendo a portaria que a regulamenta publicada até 31 de Março”, anunciou Ana Jorge numa conferência de imprensa, em Lisboa. O Governo pretende que a prescrição de fármacos por esta via passe dos actuais 70% para os 95%.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.