Prescrição de medicação com ómega-3 reduz triglicerídeos

Estudo publicado na revista “Circulation”

04 setembro 2019
  |  Partilhar:
A Associação Americana do Coração publicou uma recomendação de prescrição de ácidos gordos ómega-3 para reduzir os níveis de triglicerídeos em 20-30%.
 
Com base em 17 ensaios clínicos controlados sobre os elevados níveis de triglicerídeos, Ann Skulas-Ray, autora da recomendação, afirma que “concluímos que um tratamento de 4 gramas diárias com qualquer uma das opções disponíveis para prescrição é eficaz e pode ser usada em conjunto com estatinas para baixar o colesterol”.
 
Existem duas opções de prescrição de ómega-3: uma combina os dois tipos de ácidos gordos EPA (sigla inglesa para ácido eicosapentaenóico) e DHA (sigla inglesa para ácido docosahexaenóico); a outra apenas fornece os EPA. Contudo, a recomendação não prefere uma em detrimento da outra.
 
Os triglicerídeos são gorduras que circulam no sangue e que, em grandes quantidades (acima de 200mg/dL), entopem as artérias e provocam aterosclerose, levando a ataques cardíacos e AVC’s. Acima de 500mg/dL podem inclusive causar pancreatite.
 
Contudo, Skulas-Ray alerta que as pessoas com elevados níveis de triglicerídeos não devem tomar suplementos de ómega-3 sem prescrição médica, na tentativa de controlarem o problema por si mesmas.
 
As conclusões da análise aos dados científicos mostram ainda que receitar ómega-3 reduz os níveis de triglicerídeos, mesmo sem a toma de estatinas e que a medicação apenas com EPA, combinada com estatinas e em comparação com placebos no grupo de controlo, reduziu episódios cardiovasculares em cerca de 25%.
 
A Associação Americana do Coração recomenda ainda a ingestão de peixe gordo, pelo menos 3 vezes por semana, como fonte natural de ómega-3.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar