Prémios 2013 da Fundação Grünenthal

Distinguidas duas investigações da Universidade do Porto

17 julho 2014
  |  Partilhar:

Os prémios 2013 da Fundação Grünenthal distinguiu um trabalho sobre alívio da dor pélvica associada à cistite e outra que avalia o recurso aos serviços de saúde em casos de dor crónica, as duas investigações são da Universidade do Porto.
 

A Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) revelou à agência Lusa que o estudo "Dor crónica e utilização de serviços de saúde - Poderá existir sobreutilização de exames complementares de diagnóstico e iniquidades na utilização de tratamentos não-farmacológicos" foi distinguido com o Prémio de Investigação Clínica, no valor de 7.500 euros.
 

Relativamente ao Prémio de Investigação Básica, com o mesmo valor, foi atribuído ao trabalho "Administração intratecal de toxina botulínica do tipo A melhora o funcionamento da bexiga e reduz a dor em ratos com cistite".
 

A investigação distinguida com o Prémio de Investigação Básica revelou que a administração da toxina botulínica do tipo A "diretamente no sistema nervoso central permite que ela atue de forma eficiente sobre os neurónios sensitivos, resultando numa diminuição da dor pélvica, associada a uma melhoria do funcionamento da bexiga".
 

A investigadora principal deste estudo, Ana Coelho, explicou que a investigação premiada teve como "objetivo avaliar se a injeção daquela toxina na medula espinhal era capaz de diminuir a dor a animais com cistite como modelo de dor visceral. A cistite intersticial é uma patologia que se caracteriza por uma forte dor na zona pélvica associada a um aumento da necessidade de urinar.
 

O outro trabalho conseguiu "descrever para a população portuguesa, pela primeira vez, os padrões de utilização de serviços de saúde associados à dor crónica, nomeadamente, tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos, seguimento", explicou o investigador principal Luís Azevedo.
 

O investigador referiu que se observou "uma utilização muito significativa de serviços de saúde associados à dor crónica" e que "foi possível descrever a eventual existência de sobreutilização de testes diagnósticos e iniquidades na utilização de tratamentos não-farmacológicos".
 

O investigador concluiu que "no futuro, este estudo poderá vir a constituir-se como uma ferramenta chave para o desenvolvimento de políticas de saúde nesta área e serviu de base para uma avaliação do impacto económico da dor crónica em Portugal".

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.