Prémio Pulido Valente atribuído pela investigação da doença de Alzheimer

Estudo realizado no Instituto de Biologia Molecular e Celular do Porto

02 março 2009
  |  Partilhar:

O Prémio Pulido Valente 2008, o qual distingue o melhor trabalho publicado na área das Ciências Biomédicas realizado num laboratório nacional por um investigador com menos de 35 anos, foi atribuído à investigadora Ana Rita Costa, do Instituto de Biologia Molecular e Celular (IBMC) do Porto, pelos avanços conseguidos na investigação da doença de Alzheimer.
 

 

O estudo premiado focou-se na forma como a proteína Transtirretina (TTR) degradava um conjunto de fibras que se formam no cérebro em pacientes com doença de Alzheimer, o péptido A-Beta 42.
 

 

Em declarações à agência Lusa a autora deste estudo revela que “neste trabalho ficou demonstrado que a TTR tem um efeito protector do cérebro. Da degradação do péptido A-Beta resultam fragmentos menos tóxicos que o péptido intacto”.
 

 

A investigadora aponta ainda esta proteína como um possível agente terapêutico.
 

 

Esta doença afecta 20 a 30 milhões de pessoas em todo o mundo e prevê-se que este número triplique nos próximos 50 anos, o que reforça a importância deste estudo.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.