Prémio Pfizer 2002 distingue trabalho sobre doença degenerativa

Trabalho abre novas perspectivas na compreensão da Distrofia Muscular Oculofaríngea

24 outubro 2002
  |  Partilhar:

O Prémio Pfizer 2002 foi atribuído a investigadores do Instituto de Histologia e Embriologia e do Instituto de Medicina Molecular, da Faculdade de Medicina de Lisboa, por investigação sobre uma doença degenerativa.
 

O Prémio, atribuído pela Sociedade das Ciências Médicas de Lisboa e uma das mais reconhecidas distinções na investigação médica em Portugal, distinguiu um trabalho que abre novas perspectivas na compreensão da Distrofia Muscular Oculofaríngea (OPMD).
 

 

No trabalho "Distrofia Muscular Oculofaríngea: Análise molecular do processo de agregação da proteína PABPN1", os autores João Paulo Tavanez, Patrícia Calado e Carmo Fonseca analisaram os mecanismos moleculares que conduzem à formação de depósitos patológicos que dão origem à OPMD.
 

 

A OPMD é uma doença degenerativa onde ocorre deposição de material anormal no interior das células, afectando os músculos das pálpebras, da faringe e dos braços.
 

 

No trabalho premiado, os investigadores criaram um modelo experimental que introduz genes humanos em células musculares de ratinhos, dispensando a biópsia aos doentes, e que permitiu identificar quais as regiões dos genes que são responsáveis pela formação de depósito.
 

 

De forma inesperada, os investigadores descobriram ainda que a mutação que causa o OPMD não está por si só na origem dos depósitos.
 

 

Esta descoberta abre novas perspectivas tanto na compreensão dos mecanismos moleculares da doença, como na identificação de potenciais novos alvos terapêuticos para doenças onde ocorre a deposição de material anormal nos tecidos, tais como as doenças de Alzheimer, de Huntington e de Parkinson.
 

 

Por sua vez, o Prémio Pfizer para Jovens Investigadores foi atribuído a Tiago Ramos Alegre Branco, aluno do 6º ano da
 

Faculdade de Medicina de Lisboa, que concorreu com o trabalho "Via Delta-Notch e a Regulação da neurogénese pós-natal no cérebro de ratinho adulto", no qual o autor se debruça sobre a capacidade de formação de neurónios no cérebro dos mamíferos adultos.
 

 

Esta investigação parte da descoberta recente de que o cérebro adulto retém células com características embrionárias que garantem uma produção contínua de neurónios em zonas restritas, o que pode ser fundamental no tratamento de doenças como Parkinson ou Alzheimer.
 

 

 

Menções honrosas
 

 

A qualidade dos trabalhos a concurso motivou ainda a atribuição de duas Menções Honrosas pela Sociedade de Ciências Médicas de Lisboa.
 

 

A Menção Honrosa Prémios Pfizer 2002 foi para o trabalho "Aumento da facilitação da transmissão sináptica causada por activação de receptores para a adenosina do sub-tipo A2a no hipocampo de ratos idosos", desenvolvido por um conjunto de investigadores do Laboratório de Neurociências da Faculdade de Medicina de Lisboa.
 

 

A Menção Honrosa para Jovens Investigadores distinguiu o trabalho "Importância da adenosina na resposta das células químio- receptoras à Hipóxia", da autoria de Sílvia Vilares Santos Conde, da Faculdade de Ciências Médicas.
 

 

Bolsa de investigação
 

 

Pela primeira vez, foi também atribuída a Bolsa de Investigação Pfizer, criada este ano pela Sociedade de Ciências Médicas de Lisboa, com o apoio dos Laboratórios Pfizer, com o objectivo de fomentar a investigação no tratamento e prevenção das doenças cardiovasculares, consideradas a principal causa de morte em Portugal.
 

 

Um grupo de investigadores dos Serviços de Fisiologia e
 

Cirurgia Cardio-Torácica do Hospital de S. João, no Porto, liderados por Adelino Leite-Moreira, propõe-se realizar, ao longo dos próximos três anos, um estudo sobre "Modulação da expressão génica do miocárdio na sobrecarga do coração: Correlações funcionais e implicações na transição para a insuficiência cardíaca".
 

 

Este projecto de investigação propõe-se estudar, em modelos animais e no coração humano insuficiente, as alterações moleculares e funcionais induzidas pela sobrecarga aguda e crónica do coração.
 

 

Pretendem-se assim identificar alterações funcionais e moleculares precoces envolvidas na progressão da insuficiência cardíaca, uma das principais causas de morte no ocidente.
 

 

A finalidade deste trabalho será uma melhor compreensão da insuficiência cardíaca, permitindo desenvolver novas estratégias terapêuticas.
 

 

Valor dos prémios
 

 

Este ano o valor dos Prémios Pfizer é de, respectivamente, 15 mil euros para o Prémio Pfizer de Investigação e para o Prémio Jovens Investigadores, e de 30 mil euros, divididos em três tranches, para a Bolsa de Investigação.
 

 

Os Prémios Pfizer foram criados com o objectivo de promover a investigação em todas as áreas da medicina e são atribuídos pelos Laboratórios Pfizer e pela Sociedade das Ciências Médicas há mais de 40 anos.
 

 

Este Prémio já distinguiu investigadores prestigiados como Daniel Serrão (1958 e 1971), João Lobo Antunes, o actual Presidente da Sociedade de Ciências Médicas (1960 e 69), Estela Monteiro, Presidente da Associação Portuguesa para o Estudo do Fígado (1962) ou o casal António e Hanna Damásio (1974).
 

 

Desde a sua criação, os Prémios Pfizer já distinguiram mais de 450 investigadores, que, a sós ou em equipa ganharam um dos galardões.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.