Prémio Bluepharma/Universidade de Coimbra atribui vencedor

Projeto de terapia para o cancro de Paula Videira foi premiado

07 maio 2014
  |  Partilhar:
A investigadora Paula Videira, da Universidade Nova de Lisboa, conquistou o prémio Inovação Blupeharma/Universidade de Coimbra com um projeto científico que identifica um novo alvo terapêutico para o cancro, noticiou a agência Lusa.
 
Denominado “Anticorpos trifuncionais e tecnologias baseadas em células dendríticas: uma abordagem combinada à imunoterapia para o cancro” o projeto distinguiu-se entre os 29 projetos candidatos e receberá 20 mil euros de imediato. No entanto, o prémio poderá chegar aos 50 mil se o projeto provar que possui viabilidade no mercado.
 
Fernando Seabra Santos, presidente do júri, professor catedrático e ex-reitor da Universidade de Coimbra, explicou que, “para a escolha do vencedor, foram considerados, entre outros critérios de avaliação, o mérito, a originalidade, a inovação e o elevado interesse para a sociedade”.
 
O projeto da equipa liderada pela investigadora Paula Videira foi o escolhido devido ao seu elevado potencial de desenvolvimento e aplicação no tratamento do cancro. A equipa de investigadores desenvolveu um anticorpo capaz de reconhecer o antígeno glicosídico, presente em mais de 80% dos carcinomas humanos, incluindo cancro da mama, cancro gástrico, cancro do pâncreas e cancro da bexiga e ausente em células saudáveis.
 
Este antigénio tumoral surge na fase inicial do tumor, tornando-o um excelente candidato para atingir as fases iniciais de malignidade e assim controlar a progressão da doença. O desenvolvimento de anticorpos que simultaneamente atacam as células cancerígenas, são reconhecidos e ativam diferentes células do sistema imunitário, eliminando o tumor, traduzem uma nova estratégia de tratamento do cancro, que esteve na base da escolha desta candidatura.
 
O prémio, que tinha o valor de 10 mil euros e se destinava a distinguir teses de doutoramento, passa a ser dirigido, a partir da edição deste ano, a projetos com capacidade de terem uma presença no mercado.
 
Paulo Barradas Rebelo, presidente executivo da Bluepharma, uma empresa farmacêutica com sede em Coimbra, explicou que o novo perfil do prémio é “olhar para o futuro”, sublinhando a necessidade de estas ideias “terem potencial para chegar ao mercado” e criarem “valor para a sociedade”. O presidente mencionou ainda a “adesão fantástica” de vários candidatos e manifestou o seu desejo de querer continuar a “estimular o país a acreditar no fazer”.
 
O reitor da Universidade de Coimbra, João Gabriel Silva lembrou que instituições como a Universidade de Coimbra necessitam de uma constante renovação, já que só assim se “mantêm vivas”. O reitor recordou igualmente a necessidade de o conhecimento ser transferido para a sociedade e para o mercado, de forma a servir as necessidades do país.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.