Precaução contra o cancro da pele e falta de vitamina D

Estudo publicado nos “Archives of Dermatology”

10 dezembro 2010
  |  Partilhar:

As pessoas com síndrome do nevo basocelular (ou síndrome de Gorlin-Goltz) têm tendência para desenvolver vários cancros da pele no início da idade adulta e devem tomar mais precauções contra a exposição ao sol, mas, ao mesmo tempo, em que evitam a exposição solar, também podem correr um maior risco de deficiência de vitamina D, revela um estudo publicado nos “Archives of Dermatology”.

 

Segundo Jean Tang, principal autor do estudo, da Stanford University Medical Center, EUA, "os pacientes com cancro da pele que praticam muito boa fotoproteção têm níveis mais baixos de vitamina D (…) Isso faz sentido porque evitam a luz solar e o sol é necessário para sintetizar a vitamina D."

 

Mas ter níveis saudáveis dos nutrientes é necessário para proteger contra o cancro, problemas ósseos e cardíacos e até mesmo algumas doenças auto-imunes. Os autores do estudo analisaram os registos médicos de 41 pacientes com síndrome de Gorlin-Goltz que anteriormente tinham estado envolvidos num teste clínico para ver se o fármaco não-esteróide e anti-inflamatório celecoxib poderia prevenir o carcinoma basocelular. O celecoxib não é conhecido por afectar os níveis de vitamina D no organismo, explicaram os autores, em comunicado enviado à imprensa.

 

Estes indivíduos foram comparados com 360 homens e mulheres que não apresentavam cancro, mas que eram da mesma faixa etária, peso semelhante, níveis de exposição à radiação UV (ultravioleta) semelhantes e que viviam em áreas geográficas análogas.

 

Oitenta por cento dos pacientes com síndrome de Gorlin-Goltz disseram usar protector solar diariamente, que evitavam o sol durante as horas de maior calor e usavam roupa protectora. Nessa amostra, 56% dos participantes com a síndrome de Gorlin-Goltz tinham níveis muito baixos de vitamina D - três vezes mais baixos do que os registados no grupo de controlo.

 

Contudo, em comunicado de imprensa, o autor do estudo também observou que um grande número de pessoas com e sem histórico de cancro da pele tem níveis deficientes de vitamina D. Deste modo, o especialista adverte que a melhor prevenção nestes casos seria a toma de um suplemento de vitamina D.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 3
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.