Pré-eclampsia está relacionada com hipotiroidismo

Estudo publicado no "British Medical Journal"

20 novembro 2009
  |  Partilhar:

As mulheres que desenvolvem pré-eclampsia durante a gravidez têm uma maior probabilidade de sofrerem de hipotiroidismo, sugere um estudo publicado no “British Medical Journal”.

 

A pré-eclampsia é caracterizada por uma pressão arterial anormalmente elevada e outros distúrbios que se desenvolvem na segunda metade da gravidez. Por outro lado, o hipotiroidismo é causado por uma produção insuficiente de hormonas pela glândula da tiróide.

 

Embora ainda não se saiba a causa exacta da pré-eclampsia, estudos anteriores sugerem que certas proteínas poderão ter um papel relevante. Os níveis destas proteínas aumentam durante os dois últimos meses de uma gravidez normal mas aumentam para concentrações muito mais elevadas nas mulheres que sofrem de pré-eclampsia.

 

Para este estudo, uma equipa composta por investigadores norte-americanos e noruegueses analisou os dados de testes à função tiróideia de 140 mulheres grávidas que participaram num ensaio nos EUA e que desenvolveram pré-eclampsia, 140 mulheres que participaram do mesmo ensaio mas que não desenvolveram pré-eclampsia e 7.121 mulheres que participaram num estudo norueguês e que foram monitorizados durante cerca de 20 anos após a primeira gravidez.

 

Assim, os investigadores compararam a função da tiróide em mulheres que tinham desenvolvido pré-eclampsia durante a gravidez com a daquelas em que a pressão arterial permaneceu constante. Os cientistas investigaram também a possibilidade de a pré-eclampsia em gestações anteriores estar associada a um risco de desenvolver hipotiroidismo anos mais tarde.

 

No estudo americano, os níveis da hormona estimulante da tiróide medida imediatamente antes do parto foi duas vezes maior nas mulheres que desenvolveram pré-eclampsia durante a gravidez do que naquelas que não a desenvolveram. Este facto foi fortemente associado um nível elevado da proteína tirosina cinase, a qual tem um papel importante na patogénese da pré-eclampsia.

 

Por outro lado, o estudo norueguês revelou que as mulheres que desenvolveram pré-eclampsia na primeira gravidez tinham uma probabilidade maior de, anos após a gravidez, apresentarem concentrações mais elevadas da hormona estimulante da tiróide. A associação era particularmente forte nos casos em que a pré-eclampsia tinha ocorrido em duas gestações.
 

Os autores concluíram que as mulheres que desenvolvem pré-eclampsia têm um maior risco de desenvolver hipotiroidismo durante a gravidez e que as mulheres com antecedentes de pré-eclampsia têm um maior risco de sofrer de hipotiroidismo anos mais tarde.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.