Poucas horas de sono associadas a maior risco de stress psicológico

Estudo publicado na “Sleep”

05 setembro 2010
  |  Partilhar:

Os jovens adultos que dormem menos de oito horas por noite estão sob maior risco de sofrer de stress psicológico, uma combinação de elevados níveis de depressão e sintomas de ansiedade, revela um estudo publicado na “Sleep”.

 

O estudo, realizado pelos investigadores da Brain and Mind Research Institute and the Centre for Integrated Research and Understanding of Sleep (CIRUS), envolveu a participação de 20.822 jovens adultos de Nova Gales do Sul, Austrália, os quais responderam a um inquérito relativo ao número de horas de sono durante o mês anterior.

 

Do total de participantes, 30% dormiam sete ou oito horas por noite e 18% dormiam menos de sete horas. Menos de 2% dos indivíduos revelou ter uma duração do sono extremamente curta, ou seja, de menos de cinco horas por noite.

 

Através da utilização de uma escala de avaliação denominada por ʺKessler Psychological Distress Scaleʺ, uma ferramenta amplamente utilizada que avalia os problemas de saúde mental de uma pessoa durante as quatro semanas anteriores, os investigadores verificaram que havia uma clara associação entre a duração do sono de menos de oito horas e o stress psicológico nos jovens adultos entre os 17 e 24 anos de idade.

 

O risco de stress psicológico aumentou 14% por cada hora de sono perdida, sendo que aqueles que dormiam menos de seis horas por noite tinham um risco duas vezes maior de sofrer deste problema do que aquelas que dormiam oito horas.

 

Os investigadores descobriram também uma associação semelhante entre a duração do sono e distúrbios psicológicos persistentes. O risco de uma pessoa com stress psicológico continuar a sofrer deste problema após um ano de acompanhamento aumentava 5% por cada hora do sono perdido durante a noite.

 

Os participantes que dormiam cinco ou menos horas por noite e que não tinham stress psicológico apresentavam um risco três vezes superior de vir a sofrer deste problema um ano mais tarde.

 

Na opinião dos autores do estudo, liderados por Nick Glozier, a relação entre o sono e o stress psicológico é complexa. Apesar de uma curta duração de sono ser um risco real para o stress, é possível que a falta de sono seja um sintoma de episódios anteriores de stress psicológico que entretanto melhoraram ou ainda que os distúrbios de sono reflictam uma dificulta na resolução do stress.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.