Posta em causa eficácia de antidepressivos nos casos ligeiros

Estudo publicado no JAMA

15 janeiro 2010
  |  Partilhar:

Os antidepressivos parecem ser mais eficazes em pessoas que sofrem de depressão mais grave, revela um estudo publicado no “Journal of the American Medical Association” (JAMA).

 

Os antidepressivos, amplamente prescritos no mundo ocidental, parecem não surtir grande efeito nos casos moderados a leves da doença, de acordo com um estudo realizado por cientistas da University of Pennsylvania, EUA.

 

A equipa, liderada por Robert DeRubeis, analisou dados de seis ensaios clínicos com 718 pacientes, que tomaram aleatoriamente antidepressivos ou placebo. Os investigadores verificaram que os antidepressivos foram mais eficazes que o placebo apenas nos pacientes com depressão major, que representavam 40% do total.

 

Para o líder da investigação, os resultados do estudo deveriam ser considerados pelos especialistas na altura de prescrever os antidepressivos nos casos de depressão mais ligeiros, moderados e até nos mais graves. Em vez isso, reforça DeRubeis, os médicos deveriam considerar outras alternativas que não envolvam fármacos, tais como o exercício físico e a psicoterapia.

 

Contudo, a opinião não é consensual. E, embora os dados deste estudo sejam interessantes, eles não significam necessariamente que não sejam medicados os casos de depressão leve e moderada, assinalou, em comunicado de imprensa, Gregory Asnis, o director do programa de ansiedade e depressão do Centro Médico Montefiore, de Nova Iorque. Porque, se é um facto que o grupo que tomou placebo mostrou uma resposta positiva durante o período de análise, “com o tempo, o feito placebo tende a desaparecer”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.